Preso aluno suspeito de estuprar deficiente em banheiro de escola

Jovem teria sido estuprada dentro do banheiro da escola.

Um  estudante de apenas 19 anos foi preso acusado de estuprar uma  colega dentro do banheiro do Centro Educacional Integrado Angelim (CEIA), no bairro Angelim, na zona Sul de Teresina. A mãe da menina, que não quis ser identificada, procurou a equipe de reportagem da Rede Meio Norte, para denunciar que sua filha havia sido vítima de um  estupro.

De acordo com informações do delegado Riedel Batista, o suspeito confessou o crime durante depoimento, mas disse que trata-se de uma relação consensual, e não estupro.  A mãe da jovem contou que a filha está internada na Maternidade Dona Evangelina Rosa e foi encontrada despida e ensanguentada no local. 

Estupro teria ocorrido dentro do banheiro do Centro Educacional Integrado Angelim (CEIA)
Estupro teria ocorrido dentro do banheiro do Centro Educacional Integrado Angelim (CEIA)

A mulher afirmou que estuda no mesmo colégio da filha que sofre de problemas mentais e mentalidade de criança e por conta disso ela resolveu colocar a menina para estudar no mesmo turno, visando protegê-la.

“Eu estava em sala de aula na segunda feira, dia 5. Quando tocou a campainha do recreio eu sai da minha sala e fiquei sentada em uma área, conversei com umas colegas e sentei no banco. Depois tive um pressentimento ruim com minha filha, corri na sala dela, procurei e não achei, procurei nas outras salas e não encontrei. Quando eu estava voltando um rapaz que estuda comigo me chamou e disse que minha filha estava no banheiro passando mal, quando eu cheguei minha filha estava caída no chão, despida, ensanguentada, eu não sei mais o que fazer, até hoje esse monstro não foi preso, minha filha está internada e ninguém faz nada”, falou a mãe em prantos.

Segundo ela, a versão dada pelo suspeito foi a mesma relatada pelo diretor da instituição, que, segundo ela, não acredita na possibilidade de estupro.

“Ela tem acompanhamento medico por causa dos problemas. Estão dizendo que isso aconteceu com consentimento dela, mas minha filha é incapaz de fazer uma coisa dessas, ela é uma criança, quem conhece sabe, qualquer pessoa engana minha filha. O diretor teve a coragem de dizer que não houve estupro, que foi com consentimento dela, ele não tem o direito de fazer isso, nós temos todos os papeis comprovando, agora ela está tomando medicamento para prevenir doenças, ela passa mal toda noite porque o remédio é forte, eu só quero justiça, que ele pague o que fez para que nunca mais faça isso com ninguém, botei ela pra estudar junto comigo para proteger ela mas eu não consegui”, disse.



Fonte: Portal Meio Norte