Preso mais um acusado do furto milionário ao Banco Central do CE

Com um documento falso em nome de Aureliano Viana da Silva, de 53 anos, "Pedrão" ocupava, com outros suspeitos, uma picape Mitsubishi L200.

Um dos acusados de participar do furto ao Banco Central de Fortaleza, ocorrido em 2005, foi preso em São Paulo nesta quarta-feira (14). De acordo com informações da Polícia Civil da estado paulista, a prisão de Pedro José da Cruz, 53, aconteceu na rodovia Presidente Dutra, durante uma blitz em São Paulo.

No primeiro momento, Pedro foi encaminhado para a Delegacia de Santa Isabel e transferido durante a madrugada desta quinta-feira (15) para Guarulhos. Ele alegou estar em liberdade provisória e a polícia aguarda a confirmação da Justiça do Ceará sobre a situação do acusado.

Segundo o delegado de Santa Isabel, Carlos Alberto de Oliveira, ?Pedrão? como era conhecido foi preso por porte de documento de indentidade falso. ?Ele estava em posse de identidade falsa, com o nome de Aureliano Viana da Silva a prisão se deu devido esse delito. Em seguida, ele entregou o jogo e disse que, estava em liberdade provisória?, conta.

Carlos Alberto ainda informou que Pedro foi à São Paulo para cobrar um dívida de 2005 no valor de R$ 25 mil de um dos homens que o esperava na rodovia, identificado como Paulo Henrique ? que também portava identidade falsa. Também foi encontrado com eles maconha para consumo.

Em 2007, ele foi condenado a 47 anos de prisão. Em juízo, o acusado disse ter sido convidado por um dos líderes do furto, Luis Fernando Ribeiro, conhecido como ?Fernandinho?. A prospota era para receber R$ 4 milhões pelo serviço. De acordo com o inquérito, o convite partiu devido a experiência de Pedro em escavações, tendo inclusive fugido do Carandiru.

O acusado, à época, confessou ter participado das escavações do túnel do Banco Central durante dois meses, mas depois apresentou problemas de visão e nas articulações.

Depois do furto, Pedro recebeu R$ 2, 5 milhões e estava em posse de carros e uma loja de auto peças, além do valor de R$ 11 mil, todo em cédulas de 50.

Fonte: jangadeiroonline.com.br