Preso major suspeito de atropelar família e matar menina de 11 anos

Ele foi ouvido em delegacia de Vespasiano após receber alta de hospital.

Um major suspeito de atropelar cinco pessoas de uma família na MG-010, em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi preso em flagrante na noite desta quinta-feira (2), de acordo com a delegada Francione Fintelman. Ele ficará detido no 16º Batalhão da Polícia Militar (PM). O atropelamento aconteceu nesta quarta-feira (1º) e provocou a morte de uma garota de 11 anos.


Preso major suspeito de atropelar família e matar menina de 11 anos

Wilson Silva de Lima, de 39 anos, foi detido depois de prestar depoimento em uma delegacia de Vespasiano. O motorista, que foi internado em estado de choque após o acidente, foi conduzido à delegacia ao receber alta médica no fim desta tarde.

De acordo com a delegada, durante a oitiva, ele afirmou que seguia para um clube, quando o acidente aconteceu. Ele contou que tentou desviar de um veículo, mas acabou atingindo a família que estava no acostamento da rodovia. Além da menina que morreu, três mulheres e uma criança foram atingidas.

Ainda segundo Francione, o major confirmou que a garrafa encontrada no local do acidente era dele, mas negou que tivesse consumido bebida alcoólica no dia do atropelamento. Conforme a Polícia Civil, ele relatou que recipiente estava no carro dele desde o Natal. No depoimento, ele ainda disse que ficou muito nervoso ao ver os feridos.

O militar se negou a fazer o teste do etilômetro após o acidente. A delegada Francione Fintelman afirmou que testemunhas ouvidas nesta quinta-feira (2) disseram que não perceberam sinais de embriaguez no condutor. Quatro policiais militares que participaram do registro do boletim de ocorrência e um homem que escapou do atropelamento também prestaram depoimentos à Polícia Civil em uma delegacia de Vespasiano.

Ainda foram ouvidas, no Hospital de Pronto-Socorro Risoleta Tolentino Neves duas das três mulheres feridas no acidente. De acordo com a delegada, falta prestar depoimento a mãe da garota morta porque ela foi liberada da unidade de saúde nesta tarde para participar do sepultamento da filha.

Fonte: G1