Preso por estupros de jovens turistas confessa crimes e declara: "Peço desculpa"

Preso por estupros de jovens turistas confessa crimes e declara: "Peço desculpa"

João Iuri disse ser garoto de programa e assumiu ter estuprado 2 mulheres.

Preso no início da tarde deste sábado (10), na Via Dutra, após roubar um carro em Ipanema, João Iuri Ramos Campos, de 20 anos, confessou o estupro de duas mulheres na Zona Sul do Rio em menos de uma semana. Ao ser apresentado na 13ª DP (Ipanema), o jovem, que foi detido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), disse que era garoto de programa, chorou e se disse arrependido.

"Peço desculpas às meninas", disse o jovem de Paracambi, na Baixada Fluminsense. "Fiz isso porque eu não tenho família, saí de casa cedo e estou arrependido. Agora eu vou pagar pelo o que eu fiz e peço desculpas a todo mundo."

Pela manhã, João Iuri roubou um Gol preto com três ocupantes no Ipanema Flat Hotel Residencial, na Rua Gomes Carneiro, em Ipanema. Na sexta-feira (9), no mesmo bairro, ele havia invadido outro hotel, o San Marco, onde estuprou uma turista de Brasília, que estava no Rio para o show da Lady Gaga, acompanhada de uma amiga, também agredida e roubada. No domingo (4), em outro crime semelhante, ele violentou e roubou uma mulher do Espírito Santo que havia alugado um apartamento na Rua Joaquim Nabuco, em Copacabana.

Segundo Mario Lucio da Silva Rodrigues, agente especial da PRF, a PM informou sobre o roubo do carro por volta de 10h, e o veículo foi interceptado, com a prisão de João Iuri em flagrante. "Ele não resistiu à prisão e disse que não sabia que o carro era roubado. Com ele, encontramos 11 celulares, dois notebooks, mais de R$ 2 mil reais em espécie, cosméticos e perfumes", disse.

A princípio, o jovem está preso em flagrante pelo roubo deste sábado. A polícia, no entanto, vai pedir a prisão pelos outros roubos e os dois estupros. Em média, ele pode pegar 30 anos de prisão. Segundo a delegada da 13ª DP Monique Vidal, o homem ainda não havia sido identificado por esses crimes.

"Começou no domingo (4) com o estupro na Rua Joaquim Nabuco, com a menina que morava no apartamento há apenas um mês e meio e ele conheceu na padaria. Ele entrou no prédio, que não tem câmera, na padaria também não tem. A vítima viu uma arma, ele disse que não estava armado, mas ele confessou o estupro e o roubo dos seus pertences. Não tínhamos imagens e estava difícil de identificá-lo", explicou.

O Hotel San Marco a princípio disse que não tinha as imagens gravadas, mas a polícia aprendeu o HD do equipamento para averiguação. ?O hotel dificultou o nosso trabalho. Não sabemos se as imagens foram apagadas. Nós vamos investigar. O hotel foi, no mínimo, negligente. Vamos ver se alguém tem alguma participação ou facilitou a entrada dele no local?, disse o delegado Gilberto Ribeiro, titular da 14ª DP (Copacabana), que na sexta-feira já havia dito não descartar a possibilidade de ajuda de dentro do hotel.

Na manhã deste sábado, chegaram na delegacia três meninas que haviam sido roubadas no Ipanema Flat Hotel Residecial. João Iuri teria levado o carro para fugir. No veículo, foram encontrados os pertences das meninas vítimas de estupro. A delegada enviou fotos do estuprador para as vítimas, que confirmaram que ele havia cometido o crime.

A polícia investiga de João Iuri violentou outras vítimas.

Na noite desta sexta, a polícia havia divulgado o retrato falado feito pelas vítimas. As imagens (abaixo) são muito semelhantes, assim como a natureza dos crimes, o que havia alertado os investigadores sobre a ligação entre os casos.

Crime no hotel

De acordo com o advogado da duas amigas agredidas no San Marco, as duas meninas, uma de 18 e outra de 19 anos, saíram para uma boate, retornaram por volta de 4h e viram um homem que consideraram suspeitos nas imediações do hotel. Segundo Ramalho, quando elas subiram, deram de cara com o mesmo homem na porta do quarto.

"Elas correram para dentro do hotel, se dirigiram até a recepção, pegaram as chaves e subiram normalmente. Quando chegaram na porta do quarto, aquele sujeito suspeito estava na porta com uma arma, as obrigou a entrar no quarto, agrediu as duas. Violentou uma delas, não violentou a segunda porque ela estava menstruada. Ele espancou as duas e saiu tranquilamente do hotel", disse o advogado.

Fonte: G1