Preso que atirou em policial fica paraplégico em São Luís-MA

Preso que atirou em policial fica paraplégico em São Luís-MA

Erinaldo Almeida Soeiro se envolveu em um tiroteio

O presidiário, Erinaldo Almeida Soeiro, que se envolveu em um tiroteio dentro do Fórum Desembargador Sarney Costa nessa quinta-feira (31) ficou paraplégico. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus) nesta sexta-feira (1º).

Erinaldo Almeida foi submetido a uma cirurgia no Hospital Djalma Marques (Socorrão I) para retirar uma bala que ficou alojada próxima à coluna vertebral. Apesar do quadro dele ser estável e não correr risco de morte, Erinaldo perdeu o controle e a sensibilidade dos membros inferiores.

Segundo a Semus, foi providenciada a transferência do paciente para o Hospital Municipal Clementino Moura (Socorrão II), onde deverá permanecer até receber alta médica.

Entenda o caso

Na última quinta-feira (31), Erinaldo foi atingido por dois tiros, após balear o investigador da Polícia Civil, Enedias Chagas Neto, dentro do Fórum Desembargador Sarney Costa.

Segundo a polícia, o policial civil estava no fórum sendo testemunha em um caso, quando foi alvejado com um tiro no pescoço pelo detento Erinaldo Almeida Soeiro. O preso acabou sendo baleado pelo policial Enedias, que mesmo no chão reagiu.

Erinaldo Almeida Soeiro estava no fórum para uma audiência de instrução sobre um duplo assassinato. Erinaldo é acusado de ser o executor dos irmãos e empresários José Mauro Alves Queiroz, de 57 anos, e José Queiroz Filho, 68 anos. O crime aconteceu no dia 11 de janeiro de 2012. Os irmãos José Mauro Alves Queiroz e José Queiroz Filho eram proprietários da empresa Replub Ltda., especializada na compra e venda de óleo reciclado, localizado no Distrito Industrial de São Luís.

Segundo a polícia, Erinaldo teria matado, também, um preso, identificado como Jhonatan da Silva Luz Ferreira, conhecido como “Jocozinho”, de 20 anos, dentro da Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ) do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Para a polícia, Erinaldo Almeida foi quem disparou os tiros que atingiram os empresários. O preso foi ao Fórum para uma audiência de instrução sobre o assassinato dos empresários.

 

 

 

 

Fonte: Imirante.com