Preso suspeito de envolvimento com carro-bomba deixado em NY

Preso suspeito de envolvimento com carro-bomba deixado em NY

Faisal Shahzad teria sido identificado como paquistanês naturalizado

Um cidadão paquistanês naturalizado norte-americano foi detido na noite de segunda-feira (3) quando tentava fugir dos Estados Unidos e será formalmente indiciado nesta terça-feira diante de um juiz federal, acusado pelo atentado frustrado com um carro-bomba em Times Square no sábado passado.

Faisal Shahzad foi detido às 23h45 (0h45 de Brasília, terça-feira, afirma um comunicado da procuradoria de Nova York.

"Agentes do FBI e do departamento de polícia de Nova York prenderam Shahazad por ter supostamente dirigido um carro-bomba até Times Square no fim da tarde de 1º de maio", completa a nota.

O carro-bomba potencialmente mortífero foi desativado no sábado na própria Times Square, centro da cidade, que tinha grande movimento.

"Shahzad, cidadão naturalizado americano nascido no Paquistão, foi detido no aeroporto John F. Kennedy depois de ser identificado pelo Departamento de Segurança Nacional, pela Alfândega e pela Guarda de Fronteiras, no momento em que tentava embarcar em um avião com destino a Dubai", completa o comunicado.

Em Washington, o secretário de Justiça Eric Holder anunciou a detenção e afirmou que a investigação prossegue, perseguindo várias pistas.

"Mas está claro que a intenção por trás deste ato terrorista era matar americanos", declarou Holder.

A prisão da noite de segunda-feira foi resultado de uma operação de busca dos suspeito, identificado horas antes pelas autoridades graças a informações fornecidas pelo vendedor do veículo e ao exame minucioso do carro, que ficou intacto sem a detonação do dispositivo.

O suspeito teria comprado o Nissan Pathfinder verde em Bridgeport, ao nordeste do estado de Nova York, nas últimas três semanas.

Segundo a imprensa americana, Shahzad pagou a compra em dinheiro, sem deixar rastros nem documentos assinados. Além disso, ele teria visitado recentemente o país de origem.

De acordo com fontes da investigação, o suspeito teria comprado a caminhonete por menos de 2.000 dólares, por meio da rede Craigslist, de classificados na internet.

As autoridades também procuram um homem branco de meia idade visto em um vídeo gravado perto do carro-bomba, mas explicaram que o consideram uma "pessoa de interesse" e não um "suspeito".

O homem foi filmado trocando de camisa por uma das 82 câmeras de vigilância policial antes da divulgação do alerta e da retirada dos milhares de turistas presentes em Times Square, próxima da Broadway.

A polícia encontrou no veículo dispositivos de fogos de artifício, tanques de propano, gasolina, fertilizante e dois relógios.

Os motivos da falha do detonador ainda não foram esclarecidos, depois que a caminhonete pegou fogo parcialmente, mas segundo especialistas o dispositivo parece ter sido bastante improvisado e obra de alguém com pouca experiência.

O fertilizante estava em uma caixa de metal. Outro tipo de fertilizante pode ser usado em explosivos similares ao utilizado por Thimothy McVeigh no atentado da cidade de Oklahoma em abril de 1995, que matou 168 pessoas. Mas as autoridades afirmaram que a substância neste caso não era explosiva.

A polícia informou, no entanto, que se a bomba tivesse explodido teria criado uma "significativa bola de fogo" capaz de matar várias pessoas.

Um vendedor de rua, veterano da guerra do Vietnã e agora transformado em herói nacional pela imprensa americana, percebeu a fumaça saindo do veículo e sentiu o cheiro de pólvora, antes de avisar a polícia.

Nova York está em alerta terrorista desde os atentados de 11 de setembro de 2001. O grupo talibã paquistanês Tehrik-e-Taliban reivindicou o ataque frustrado de sábado.

Fonte: g1, www.g1.com.br