Preso suspeito de matar lutador de jiu-jitsu

O suspeito foi preso na manhã desta segunda-feira (28), após uma denúncia anônima

O relógio encontrado com o suspeito de ter matado o lutador Marcos Jara e atirado em seu amigo, o americano Brent Garret, pertencia ao brasileiro, segundo informou a polícia.

Anteriormente, a assessoria da Polícia Militar havia informado que o relógio pertencia ao americano, mas a informação foi retificada.

O suspeito foi preso na manhã desta segunda-feira (28), após uma denúncia anônima. Ele foi detido em Santa Cruz, na Zona Oeste, e será levado para a 36ª (Santa Cruz), onde o caso é investigado. A prisão aconteceu um dia depois de seu retrato falado ter sido divulgado.

Americano deve sair do CTI

O americano Brent Garret Massnam, amigo do lutador Marco Jara, assassinado na véspera de Natal, deverá sair do Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Copa D"or, na Zona Sul do Rio, nesta segunda-feira (28), segundo a assessoria do hospital.

Ainda de acordo com o hospital, seu quadro de saúde é estável e ele será transferido para a unidade semi-intensiva. Ainda não há previsão de alta. Brent foi baleado na barriga e passou por uma cirurgia para retirada de fragmentos de bala, no Hospital Pedro II, em Santa Cruz, na sexta-feira (25), antes de ser transferido.

O crime

O americano e o brasileiro Marcos Jara foram atacados num suposto assalto, em Santa Cruz, na Zona Oeste, quando estavam seguindo para Paraty, no Sul Fluminense, onde iam passar o Natal.

Eles foram abordados por dois homens armados, quando pararam o carro em que estavam para checar o porta-malas. Segundo a polícia, Garret Massnam foi baleado e jogado para fora do carro, enquanto os suspeitos fugiram no Land Rover com Jara.

Polícia ouve testemunhas

Policiais da 36ª DP (Santa Cruz) realizaram, no sábado (26), buscas na comunidade do Cesarão, na Zona Oeste do Rio, para tentar localizar os criminosos.

Policiais militares também realizaram uma operação, no mesmo dia, na Favela do Aço, na Zona Oeste. Mas ninguém foi preso.

De acordo com o delegado que investiga o caso, uma testemunha se apresentou e prestou um depoimento preliminar. Seria um mecânico que foi rendido pelos suspeitos e obrigado a dirigir o Land Rover roubado.

Outra testemunha que está colaborando com a investigação é o motorista do Siena roubado antes da abordagem ao lutador brasileiro e o amigo americano. Ele se apresentou no dia ao crime na 35ª DP (Campo Grande) e foi encaminhado para a 36ª DP, onde viu fotos de suspeitos, mas não conseguiu identificar ninguém.

Fonte: g1, www.g1.com.br