PRF-PI detecta 47 pontos de exploração sexual

O órgão utiliza um serviço de inteligência para poder rastrear os pontos de maior vulnerabilidade no PI

O Piauí possui 47 pontos de exploração sexual de crianças e adolescentes distribuídos pelas rodovias. Esse dado faz parte das informações levantadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) neste ano.

O órgão utiliza um serviço de inteligência para poder rastrear os pontos de maior vulnerabilidade em todos os municípios piauienses. As ações são de combate e pretendem reduzir a reincidência desses locais depois de exterminados e o aumento da exploração sexual infanto-juvenil.

Esse processo de levantamento começou a ser feito em 2003 e já naquele ano o número de pontos vulneráveis apontados consistiu em 27, distribuídos também por todas as regiões do Estado.

O atual número é maior, um dos motivos para esse crescimento foi a intensificação dos trabalhos de investigação. ?Agora são 47 os pontos identificados, mas isso não significa que não existam mais, e por isso é que o trabalho à procura desses locais é rotineiro?, relata o inspetor da polícia rodoviária, Fabrício Loyola.

Nas averiguações são consideradas circunstâncias, sujeitos e elementos físicos; com base nisso os pontos vulneráveis são indicados. Os fatores característicos são presença de crianças e adolescentes, circulação de dinheiro, situação de risco, grau de escolaridade, diferenças de poder aquisitivo, locais ermos - sem muita iluminação - e elevada circulação de pessoas. ?

São muitos os pontos considerados e o combate aos pontos de prostituição infantil deve acontecer dentro dos parâmetros para acabar com esses fatores de risco?, observa o inspetor.

Entre os municípios que apresentam maior incidência de locais com essas práticas criminosas estão:

Teresina, Picos, Floriano, Cocal de Telha, Campo Maior, Parnaíba, Marcolândia, entre outros. Nessas cidades os casos de exploração infanto-juvenil são recorrentes, a exemplo de Cocal de Telha, onde a PRF informou que muitos pontos já foram fechados e mesmo assim voltaram a funcionar com essa prática criminosa. ?Em Cocal de Telha parece que já é cultural?, pontuou.

Os locais onde a atividade de exploração é mais frequente são os postos de gasolina, princialmente os pátios de estacionamentos destinados a caminhões.

?Como esses locais em geral são muito escuros e lotados, isso facilita essa atividade, por isso é que existe uma proposta para alteração, obrigando os postos de gasolina a aplicaram regras de sinalização para facilitar a fiscalização da polícia e também melhorarem a iluminação?, diz.

Fonte: Thays Teixeira - Jornal Meio Norte