Promotor denuncia jogador de futebol Marcelinho Paraíba por lesão corporal e ameaça

Promotor denuncia jogador de futebol Marcelinho Paraíba por lesão corporal e ameaça

Ministério Público manteve indiciamento da delegada Hertha de França.

O promotor Sócrates da Costa Agra denunciou nesta quarta-feira (6) o jogador de futebol Marcelinho Paraíba pelos crimes de lesão corporal leve e ameaça, praticados contra sua ex-namorada Ana Paula Alves Dantas. O Ministério Público estadual manteve o indiciamento da delegada Hertha de França.

O advogado Afonso Vilar, que defende Marcelinho, explicou que como o jogador não foi citado pessoalmente, a defesa ainda não tem detalhes do processo, mas que tem dez dias para apresentar a defesa na Justiça.

O caso aconteceu em 13 de dezembro do ano passado, quando a vítima teria ido cobrar, no sítio do atleta em Campina Grande, o pagamento de pensões alimentícias atrasadas. O jogador responde em liberdade.

A Polícia Civil indiciou o atleta com base na Lei Maria da Penha por lesão corporal leve e ameaça, cujas penas juntas podem chegar a quatro anos de detenção. O atleta responde em liberdade após prestar depoimento à polícia e pagar fiança de R$ 12,4 mil.

O laudo do Instituto de Polícia Científica (IPC) confirmou marcas de violência, levando a delegada de Violência Doméstica de Campina Grande a indiciar o atleta por agressão de natureza leve e ameaça, cujas penas juntas podem resultar de detenção de até quatro anos. "O inquérito foi remetido ao Judiciário consubstanciado nos mesmos motivos do auto de prisão em flagrante", afirmou a delegada Hertha de França.

Marcelinho está atualmente sem contrato firmado com nenhum time e à época dos fatos jogava pelo Boa Esporte, de Minas Gerais. Em entrevista à TV Paraíba, a ex-namorada de Marcelinho Paraíba afirmou que o atleta devia um ano de pensão alimentícia ao filho de 3 anos, e que foi agredida por ele quando foi cobrar o valor atrasado.

No dia 13 de dezembro de 2012, policiais estiveram no sítio do jogador no bairro de Nova Brasília e ele foi detido. Segundo a delegada, na época, o jogador preferiu não falar nada em depoimento. A vítima passou por exame de corpo de delito comprovando uma lesão.

Outra prisão

O jogador também foi preso em novembro de 2011 quando comemorava a ascenção do Sport, time em que jogava, à Série A do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, ele foi preso com mais três amigos novamente em seu sítio em Campina Grande, mas não foi denunciado pelo Ministério Público e o caso foi arquivado.

De acordo com Fernando Zoccola, primeiro delegado que atuou no caso, a suposta vítima afirmou em depoimento que o crime aconteceu de madrugada durante a festa. Segundo ela, Marcelinho forçou um beijo e a agrediu, puxando seus cabelos. A mulher apresentava cortes na boca e foi levada para a Unidade de Medicina Legal (UML) para ser submetida a um exame de corpo de delito. A delegada da Mulher, Hertha de França, indiciou Marcelinho por estupro, mas a hipótese foi descartada pelo Ministério Público.

Fonte: G1