Promotor pede prisão do ex de advogada

A prisão temporária de 30 dias foi pedida no último sábado por um juiz de plantão

A Promotoria de Guarulhos (Grande SP) pediu à Justiça a prisão preventiva do advogado e policial aposentado por invalidez Mizael Bispo de Souza, ex-namorado e principal suspeito do assassinato da advogada Mércia Nakashima, 28. O promotor Rodrigo Merli Antunes pediu a conversão do pedido de prisão temporária para preventiva, por considerar que existem novos elementos na investigação.

"Eu entendi que o fundamento da prisão temporária era genérico. Com a conduta dele de fugir, corremos menos risco de garantir a lei penal numa futura ou eventual condenação", diz o promotor.

A prisão temporária de 30 dias foi pedida no último sábado por um juiz de plantão após o vigia Evandro Bezerra Silva confessar em depoimento que Souza matou Mércia, segundo a polícia. Silva foi preso em Sergipe e participará de uma acareação com um colega para qual ele teria contato detalhes da oferta que recebeu de Mizael para fazer uma "coisa errada".

De acordo com Antunes, pela falta de fundamentos do pedido anterior, a defesa poderia facilmente conseguir um habeas corpus. "A primeira decisão desfavorável, ele [Mizael] fugiu. O que mostra as verdadeiras intenções", diz.

Com o pedido de prisão preventiva o suspeito deve ficar preso por tempo indeterminado, mas caso ultrapasse 90 dias, a defesa pode recorrer, segundo o promotor. Mizael continua foragido.

Mércia foi vista pela última vez na casa dos seus avós no dia 23 de maio. O carro da advogada foi encontrado no dia 10 de junho em uma represa na cidade de Nazaré Paulista (a 64 km de São Paulo), após indicação de um homem que viu o veículo ser empurrado enquanto pescava. No dia seguinte seu corpo foi encontrado no mesmo local, após ela ter ficado desaparecida por 17 dias.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br