Caso Styllos: Eles induziram o pessoal ao erro, afirma promotor

Keila Moreno e Fabiano Neve foram presos no início da noite do dia 22 de agosto, em Goânia

O promotor Assuero Stevenson Oliveira falou em entrevista à Rede Meio Norte sobre a prisão do Styllos, que deram golpes em universitários de Teresina e outros municípios do Piauí .

Keila Moreno e Fabiano Neve foram presos na noite do dia 22 de agosto, na cidade de Goiânia (GO) e são acusados de estelionato, mas a defesa pedirá que o casal responda processo em liberdade. ?O Ministério Público entende que houve um crime de estelionato em que esse casal celebrou com várias turmas 13 contratos e logo após a celebração pegou o dinheiro e evadiu-se. É o crime do artigo 171, o estelionato, ao obter para si ou para outro vantagem indevida, ilícita. Eles induziram o pessoal ao erro. Celebraram o contrato, disseram que iriam fazer a festa e foram embora?, diz o promotor.

?A pessoa pode dever, mas não pode induzir uma pessoa ao erro. Eles lesaram as pessoas. Foram quase R$ 3 milhões de prejuízos aos formandos. A denúncia foi oferecida no dia 7 de novembro de 2011 e dia 27 de janeiro deste ano foi decretada a prisão preventiva e eles estavam foragidos. Se eles não deviam nada, porque ficaram o tempo todo dificultando o andamento processual?, indaga Assuero Stevenson.

O promotor diz ainda que se a defesa do casal Keila Moreno e Fabiano Neve conseguir liberdade aos dois o Ministério Público vai recorrer. ?A tese tem fundamento. O inquérito policial foi bem instruído e existem provas de que houve o ilícito penal?, finaliza.

Fonte: Samara Costa