Promotores não acreditam na tese de suidídio

Promotores não acreditam na tese de suidídio

Os promotores disseram que hoje tiveram conhecimento que o assassino de Fernanda Lages pode estar ligado ao Governo, mas não necessariamente do Piauí

Em entrevista concedida ao meionorte.com, os promotores do Ministério Público Federal, Ubiraci Rocha e Eliardo Cabral, falaram sobre os laudos da Paraíba e as teses de suicídio e homicídio da estudante de Direito Fernanda Lages, que foi encontrada morta no dia 25 de agosto no prédio da Procuradoria da República na Avenida João XXIII, na zona Leste de Teresina.

Os promotores Eliardo Cabral e Ubiraci Rocha disseram que não acreditam na tese de suicídio de Fernanda Lages e afirmaram que após a reconstituição do crime ficou reforçado para o Ministério Público Federal que o crime se trata de um homicídio.

?A possibilidade de suicídio é pouca, a moça que interpretou Fernanda Lages na reconstituição do crime é uma atleta se comparada a estudante de Direito, e mesmo assim não conseguiu se jogar do parapeito do prédio. Com a hipótese de dois homens a jogando daquela altura de 27 metros fica mais evidente que a estudante foi assassinada", disse o promotor Ubiraci Rocha.

Segundo os promotores, o laudo pericial que veio da Paraíba não param as investigações e nem trazem a conclusão de fato, mas esclarecem e apontam o caminho a ser andado. Ele disseram que estão à espera de um perito do Distrito Federal para realizarem uma análise mais detalhada dos laudos.

Os promotores disseram que hoje tiveram conhecimento que o assassino de Fernanda Lages pode estar ligado ao Governo, mas não necessariamente do Piauí.

Durante a entrevista, Eliardo Cabral foi indagado sobre a possibilidade de um possível afastamento do caso que teria sido feita pelo secretário de Segurança Raimundo Leite, mas negou a informação. Ubiraci Rocha disse que caso aconteça uma arbitrariedade com Eliardo ele também vai pedir o próprio afastamento.

De acordo com os promotores, a polícia terá que indicar os culpados do assassinato de Fernanda Lages para que possam responder pelo crime.

Fonte: Andersson Carvalho