Promotoria denuncia 12 à Justiça por morte de jovem no Hopi Hari

Promotoria denuncia 12 à Justiça por morte de jovem no Hopi Hari

Indiciados podem responder processo por homicídio culposo

O Ministério Público informou na manhã desta quarta-feira (9) que ofereceu denúncia à Justiça contra 12 pessoas como responsáveis pela morte de Gabriela Yukari Nichimura, no parque de diversões Hopi Hari, em Vinhedo (SP), em fevereiro deste ano. Entre os denunciados estão o presidente do parque, Armando Pereira Filho, e o gerente geral de Manutenção e Projetos, Stefan Fridolin Banholzer. Segundo o promotor criminal Rogério Sanches, o presidente foi "omisso" em relação à falha na cadeirinha onde a adolescente sentou. O parque sabia que uma peça chamada articulador foi retidada da cadeira onde Gabriela sentou. Isso possibilitou o acidente, segundo o MP.

Se a Justiça aceitar a denúncia, as 12 pessoas podem ser indiciadas por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, com pena de 1 a 3 anos de prisão, caso sejam condenadas. O MP pediu ainda que a pena seja aumentada em um terço porque os funcionários do parque não cumpriram regras de segurança das profissões que desempenham. O relatório do MP com a denúncia foi entregue na 1ª Vara Criminal de Vinhedo às 9h desta quarta-feira pelo promotor Rogério Sanches.

A Promotoria decidiu que não vai apresentar denúncia contra o vice-presidente do Hopi Hari, Claudio Luis Pinheiro Guimarães, por desempenhar apenas funções comerciais, e o técnico em Eletrônica e Eletrotécnica, Rodolfo Rocha de Aguiar Santos, que comunicou a supervisão sobre a falha na cadeira.

Eles estavam na lista de indiciados pelo delegado Álvaro Santucci Noventa Júnior após a conclusão do inquérito. O MP acrescentou três nomes, os dos gerentes de operações Flávio da Silva Pereira e Fábio Ferreira da Silva, e da operadora Amanda Cristina Amador, que não foram citados na relação da Polícia Civil. No dia 17 de abril, o delegado Álvaro Santucci Noventa Júnior indiciou 11 pessoas também por homicídio culposo pelo acidente ocorrido no brinquedo.

O advogado da família de Gabriela Yukari Nichimura, Ademar Gomes, acompanhou a coletiva à imprensa do Ministério Público e disse que está satisfeito com a lisura do trabalho da Promotoria e da Polícia Civil. O advogado informou ainda que aguardava a apresentação de denúncia à Justiça para protocolar pedido de indenização por danos morais de R$ 2 milhões à diretoria do Hopi Hari e outra de R$ 1 milhão à Prefeitura de Vinhedo por considerar que não houve fiscalização por parte da administração municipal no parque.

O advogado de defesa do parque, Alberto Zacharias Toron, disse ao G1 que ainda não teve acesso à denúncia e que por isso não vai se manifestar sobre o assunto por enquanto. De qualquer forma, Toron adiantou que a exclusão dos nomes do vice-presidente do parque, Claudio Luis Pinheiro Guimarães, e do técnico em Eletrônica e Eletrotécnica, Rodolfo Rocha de Aguiar Santos, já é um avanço.

Veja lista das pessoas denunciadas pelo Ministério Público

Marcos Antônio Tomaz Leal ? Atendente de Operação

Vitor Igor Spinocci de Oliveira ? Atendente de Operação

Edson da Silva ? Atendente de Operação

Amanda Cristina Amador - Operadora

Lucas Martins Figueiredo ? Supervisor de Operações (Atendente Sênior)

Adriano César de Souza ? Técnico de Manutenção Mecânica

Luiz Carlos Pereira de Sousa ? Sênior Mecânico

Juliano Ambrósio ? Técnico de Manutenção/Formação em Mecatrônica

Flávio da Silva Pereira - Gerente de Operações

Fábio Ferreira da Silva - - Gerente de Operações

Stefan Fridolin Banholzer ? Gerente Geral de Manutenção e Projetos

Armando Pereira Filho ? Presidente do Hopi Hari


Promotoria denuncia 12 à Justiça por morte de adolescente no Hopi Hari

Fonte: G1