Psicóloga de 34 anos estuprada após carro quebrar não reconhece suspeito

Mulher foi violentada logo após carro quebrar na quarta-feira (22).

A psicóloga que foi estuprada em um trecho da Marginal Tietê, na noite desta quarta-feira (22), em São Paulo, não reconheceu por foto um suspeito apontado pela Polícia Civil, informou o delegado Eduardo Castanheira, titular do 2º Distrito Policial, no Bom Retiro, onde o caso foi registrado.

A vítima, que tem 34 anos, foi abordada por volta das 18h. O crime aconteceu após o carro dela quebrar na Avenida Presidente Castello Branco, próximo ao cruzamento com a Avenida do Estado.

Nesta manhã, um homem foi levado para averiguações até a delegacia. A Polícia Civil fez uma fotografia do suspeito e a enviou para a psicóloga, que não reconheceu o averiguado. Na sequência, o homem foi liberado.

O criminoso se aproximou da vítima oferecendo ajuda para consertar o veículo da psicóloga que havia quebrado pouco tempo antes. Ela havia obtido ajuda de uma equipe da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para retirar o carro da faixa e colocá-lo em local que não atrapalhasse o trânsito. Segundo a polícia, ela ficou no local para aguardar o resgate da seguradora.

Antes da chegada do guincho, ainda de acordo com o delegado Eduardo Castanheira, o criminoso se apresentou como mecânico e ofereceu ajuda, convidando a vítima para ir até uma oficina. A poucos metros do local, ela foi estuprada.

Para violentá-la, ele a ameaçou com uma barra de ferro. Segundo a vítima contou à polícia, o criminoso não a roubou. Após o estupro, o homem fugiu.

A vítima foi encaminhada ao Hospital Pérola Byington, na Bela Vista, na região central, onde passou por exames e depois foi liberada. A polícia informou que o suspeito é pardo, tem entre 35 e 40 anos e 1,76 m de altura.

Fonte: G1