Quadrilha fuzila PM em município de Fortaleza

O cabo Vítor, como era conhecido, integrava a guarda do Quartel do Comando Geral (QCG) da PM

O cabo foi arrastado para os fundos da casa e eliminado com oito tiros. Os assaltantes fugiram levando a arma do PM

Mais um assalto terminou de forma trágica no Município do Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza (CE), na noite da última segunda-feira (6). Por volta das 21 horas, seis homens pularam o muro do sítio ´Até que enfim´, localizado na Avenida Cícero Sá, 188, no Centro, e assassinaram o cabo da Polícia Militar Salomão Victor Barroso.

O cabo Vítor, como era conhecido, integrava a guarda do Quartel do Comando Geral (QCG) da PM, na Avenida Aguanambi. Naquela noite, ele fazia ´bico´ como segurança do sítio que pertence a um secretário da Prefeitura do Município de Maracanaú, também na RMF.

Executado

Segundo as primeiras investigações, os assaltantes perceberam que estavam diante de um segurança da residência e o arrastaram até os fundos da casa, disparando oito tiros contra ele, a maioria na cabeça, peito e braços. No momento em que o crime aconteceu, o secretário estava dentro da casa com a família. Segundo a Polícia, ao ouvir os tiros, ele teria se trancado com seus familiares temendo que mais alguém fosse atingido.

Depois de matarem o PM, os bandidos fugiram levando a pistola da vítima, conforme informou o major Ricardo Moura, que estava como supervisor de Policiamento da Capital.

"Anunciaram um assalto, renderam o cabo na covardia e levaram ele até os fundos do terreno. Lá, o eliminaram com vários tiros", confirmou o oficial.

Durante toda a noite e madrugada, várias equipes da Polícia Militar realizaram buscas pela região, percorrendo especialmente os matagais nos arredores do sítio onde o cabo Vítor foi executado. Apesar de ainda não ter confirmado a identificação de nenhum dos envolvidos no crime, a Polícia suspeita de que a ação tenha sido praticada pela quadrilha especializada em assaltos a sítios e casas de veraneios no Eusébio, que atua há vários meses no município.

Foragidos

"Possivelmente trata-se do bando já conhecido da Polícia que teve alguns de seus integrantes presos, mas que ainda conta com outros foragidos. A Polícia tem feito investidas na área e, na última delas, apreendeu várias armas. Talvez a ação contra o cabo da PM foi para tomar sua arma", afirmou Moura.

No fim da tarde, o corpo do PM foi sepultado no Parque da Paz, na presença de familiares e colegas de farda. Os coronéis Hélio Severiano Vasconcelos (comandante-geral adjunto) e Carlos Alberto Serra (comandante do QCG), representaram o Estado-Maior no ato.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br