Quarta noite de ataques em SC tem incêndios  e disparos com arma

Quarta noite de ataques em SC tem incêndios e disparos com arma

Atentados foram registrados em cidades do Norte, Sul e Oeste do estado

Três ônibus e duas carretas foram incendiados, um coquetel molotov foi atirado contra a casa de um casal de policiais civis, uma base da Polícia Militar (PM) foi alvo de disparos, uma sala foi incendiada e um ônibus teve os vidros quebrados na quarta noite de ataques em Santa Catarina. Até as 3h, não havia vítimas e ninguém havia sido preso.

Desde a noite de quarta-feira (30), Santa Catarina registra ataques a ônibus, bases da Polícia Militar e Polícia Civil e veículos particulares, em pelo menos oito cidades. O secretário de Segurança do estado, César Grubba, acredita que os atentados partiram de ordens da mesma facção criminosa que promoveu os ataques em novembro de 2012. O motivo estaria relacionado à transferência de presos e o combate ao tráfico de drogas. O Serviço de Inteligência já havia feito um alerta à Secretaria de Segurança Pública sobre a possibilidade de novos ataques.

Às 18h do sábado (2), um veículo do transporte coletivo de Criciúma, no Sul do estado, foi incendiado por quatro homens armados. Eles renderam motorista e cobrador, mandaram os cerca de 20 passageiros descerem e atearam fogo no ônibus. Segundo testemunhas, as chamas destruíram completamente o veículo em poucos minutos. Conforme o comandante da Polícia MIlitar de Criciúma, coronel Márcio Cabral, o ataque tem ligação com o da noite anterior e já foram identificados dois suspeitos. Todos possuem menos de 20 anos de idade.

Duas carretas com combustíveis foram incendiadas por volta das 21h20 deste sábado (2) em Maracajá, no Sul do estado. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Militar, o fato ocorreu no quilômetro 404 da BR-101, em um posto no acesso ao município.

Em outra ação, criminosos lançaram um coquetel molotov contra a casa de um casal de policiais civis em Criciúma, também Sul de SC. Segundo informações das Polícias Civil e Militar, o crime ocorreu próximo das 22h no bairro Pinheirinho. Os dois policiais não estavam em casa no momento do crime. Guarnições da PM chegaram ao local e conseguiram controlar as chamas com extintores de incêndio.

No Norte do estado, um ônibus foi incendiado em São Francisco do Sul. Segundo a Polícia Militar, o incêndio foi por volta das 22h e o veículo é da empresa Verdes Mares. Conforme a PM, o veículo estava em uma área afastada da cidade, no Bairro Praia de Paulas. "Os policiais conseguiram chegar a tempo e apagar o incêndio antes que as chamas se espalhassem", explicou o major Alessandro.

Criminosos realizaram quatro disparos contra uma base da Polícia Militar em Joinville, no Norte de Santa Catarina. O crime ocorreu por volta de 0h30 deste domingo (3) no bairro Aventureiro. De acordo com os policiais que estavam dentro da base, a instalação não chegou a ser atingida. Os tiros foram efetuados por dois homens em uma moto.

Quatro homens em duas motos incendiaram uma das salas de uma subprefeitura em Araquari, no Norte de Santa Catarina. O crime ocorreu por volta de 1h10 deste domingo (3). De acordo com a Polícia Militar, no mesmo prédio funciona uma base da PM, que não foi atingida pelo fogo. Os policiais chegaram a tempo e acionaram os Bombeiros Voluntários de Araquari, que combateram as chamas. A sala atingida foi destruída. Mobília e computadores foram queimados.

Materiais incendiários foram encontrados na garagem da prefeitura de Chapecó, no Oeste. Segundo a Polícia Militar, fogo não chegou a ser ateado no local, que fica no bairro São Pedro. Os policiais e os bombeiros foram acionados para essa ocorrência por volta das 2h deste domingo (3). Na mesma cidade, um micro-ônibus escolar foi incendiado próximo das 2h07 no bairro Jardim América. Não havia ninguém dentro do veículo, que estava estacionado.

Um vidro de um ônibus escoltado pela PM foi quebrado por uma pedra em Joinville, no Norte. O ataque ocorreu por volta das 2h20 na rua Átila Urban, bairro Panaguamirim. Os policiais militares acreditam que o autor do atentando tenha usado um estilingue.

Fonte: G1