Quinto trabalhador rural é morto em 20 dias no estado do Pará

Obede Loyola Souza não fazia parte de movimentos sociais; polícia não vincula caso ao conflito agrário.

Foi confirmado ontem o assassinato de mais um trabalhador rural no Pará. É o quinto caso no Estado em menos de 20 dias. Obede Loyola Souza, 31, foi morto com um tiro de espingarda no último dia 9, segundo a CPT (Comissão Pastoral da Terra), braço da Igreja Católica no campo. O corpo foi encontrado dois dias depois e enterrado ontem.



A Polícia Civil confirma o assassinato, mas diz que a perícia ainda não informou a data exata do crime, a arma utilizada e o número de tiros. A vítima morreu perto da casa onde morava com a mulher e os três filhos no acampamento Esperança, em Pacajá, no sudoeste do Estado. A cidade fica entre os municípios de Marabá e Altamira, que receberam na semana passada uma força-tarefa federal para investigar e evitar crimes no campo.

Souza não fazia parte de movimentos sociais e, segundo a polícia, estava sozinho no momento do crime.

De acordo com a CPT, no início do ano Souza e outros moradores da área discutiram com representantes de madeireiros responsáveis pela extração de madeira ilegal.

A comissão diz ainda ter recebido relatos sobre a presença de quatro homens em uma caminhonete preta na área do acampamento no dia da morte. Mas para a Polícia Civil não há indícios de que o crime esteja vinculado a conflito agrário. Desavenças da vítima com pessoas de dentro do acampamento seriam a causa mais provável. Um suspeito já foi identificado.

O Ministério da Justiça declarou que a força-tarefa seria encaminhada a Pacajá caso houvesse pedido do governo estadual. Procurada, a Secretaria Estadual de Segurança não informou se faria a solicitação.

Fonte: Folha.com