Recém-nascido é abandonado em caixa de papelão no Rio de Janeiro

O caso já foi passado para o Conselho Tutelar

Um bebê recém-nascido foi abandonado dentro de uma caixa de papelão, em Maricá, na Região Metropolitana do Rio. Segundo informações da polícia da 82ª DP (Maricá), um homem que seguia para o trabalho na manhã desta quinta-feira, escutou um choro que segundo ele era bem fraquinho e muito semelhante a um miado de um gato. Ao abrir a caixa, ele foi surpreendido com uma criança que estava enrolada em um lençol azul e com o cordão umbilical enrolado com fita adesiva.

Recém-nascido é abandonado em caixa de papelão no Rio de Janeiro (Crédito: Reprodução)
Recém-nascido é abandonado em caixa de papelão no Rio de Janeiro (Crédito: Reprodução)


De acordo com o capitão Marcelo Barreto, da 4ª Companhia de Maricá ligado ao 12º BPM de Niterói, o homem estava muito nervoso e procurou os policiais de um DPO próximo do local onde a criança foi encontrada e pediu ajuda: "Os policiais relataram que o bebê já estava ficando com os braços e o rosto roxinhos provavelmente por causa do frio. Eles levaram a criança imediatamente para o Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro do município. E posteriormente, levaram o homem a delegacia, para prestar depoimento".

Recém-nascido é abandonado em caixa de papelão no Rio de Janeiro (Crédito: Reprodução)
Recém-nascido é abandonado em caixa de papelão no Rio de Janeiro (Crédito: Reprodução)


Em depoimento prestado à polícia, o homem que não teve a identidade revelada, disse ter encontrado a criança por volta das 6h, na Rua Aristides Alves de Azevedo e chegou a acreditar que eram gatos que estavam abandonados.

" O nosso objetivo neste momento é tentar localizar a mãe desta criança. A gente acredita que algum parente ou vizinho desta mãe possa fazer a denúncia sobre o seu paradeiro, porque ela, em algum momento, vai aparecer sem o bebê e sem a barriga", explica o investigador.

Caso a mãe ou a pessoa que deixou o bebê seja encontrada ela responderá pelo crime de abandono de incapaz, cuja a pena pode variar entre seis meses a três anos de prisão.

O caso já foi passado para o Conselho Tutelar. A criança tem 3kg e 250g e 52cm, deve ficar hospitalizada pelo período de 14 dias. Depois disso, caso nenhum familiar apto a ficar com a criança seja encontrado, ela será encaminhada para o acolhimento ou em último caso, para um abrigo.

Fonte: Com informações do Extra