Recém-nascido é roubado de dentro de hospital particular; veja

Recém-nascido é roubado de dentro de hospital particular; veja

Os pais reconheceram a mulher nas imagens das câmeras

Uma mulher é suspeita de ter roubado, nesta sexta-feira (22), um recém-nascido dos braços da mãe dentro de um hospital particular, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. Imagens gravadas pelo circuito interno de segurança mostram a suspeita esperando pelo elevador. Minutos depois ela desce, supostamente com a criança dentro de uma bolsa que carregava.

Os pais reconheceram a mulher nas imagens das câmeras.

O apelo de Elisa da Silva Barbosa, mãe da criança, é desesperador: "Eu não sei porque você fez isso, o que você quer, mas devolva a minha filha. Quem é mãe sabe da dor que eu estou sentindo agora", pediu ela, que contou, ainda, que se internou na quinta-feira (21). O bebê, uma menina, Ayana Mila, nasceu à meia-noite e quinze desta sexta.

Por volta das 17h desta sexta, uma mulher vestindo jaleco branco e com um estetoscópio em volta do pescoço entrou no quarto e avisou que precisava levar o bebê para exame. Elisa e o marido deixaram que ela levasse o bebê.

"Ela entrou no quarto, dizendo que era pediatra, e que queria examinar a "nenê", e perguntou se a gente já tinha feito exame do pezinho, de orelhinha, como na minha cidade em Manaus é de praxe todo hospital fazer isso dentro do hospital, aí eu achei que aqui também seria assim", disse Elisa.

Crime em menos de 15 minutos

A falsa médica precisou de menos de 15 minutos para entrar no hospital, chegar ao terceiro andar, ao quarto de Elisa, pegar a criança e sair, sem que ninguém percebesse.

Assim que percebeu que tinha acontecido, o diretor do hospital, Sérgio Moutinho, chamou a polícia. "A própria mãe deu a criança, a gente não tem um acesso a isso, e ela saiu com a criança dentro da bolsa, então a gente não revista a bolsa quando sai. Mil pessoas entrando e saindo, a gente não conhece a pessoa. Ela entra como visitante", disse ele.

Elisa quer a filha de volta o mais rápido possível: "Por favor, quem levou a minha filha, que devolva a minha filha. Eu te peço, misericórdia, por favor, traga a minha filha", pediu.

Fonte: g1, www.g1.com.br