Rendido, gerente abre banco para ladrões

Vídeo exclusivo mostra ação de grupo que roubava bancos

Imagens exclusivas do circuito interno de um banco na cidade de Pitangui, na região centro-oeste de Minas Gerais, mostram a ação de uma quadrilha que assaltava bancos no interior do estado e em Belo Horizonte. Cinco integrantes da quadrilha foram apresentados nesta segunda-feira (30).

Segundo a Polícia Civil, o crime começava com o sequestro dos gerentes e das famílias deles. De acordo com as investigações, antes de entrar em ação, o bando sequestrava um funcionário do banco e o levava para a agência. Durante o trajeto, os parentes da vítima ficavam mantidos em cárcere privado e sofriam pressão psicológica.

O vídeo mostra o que aconteceu com o gerente da agência bancária de Pitangui. Segundo a polícia, com a mulher e os filhos rendidos, ele foi obrigado a abrir a agência para os criminosos e teve que levar os ladrões até a tesouraria, onde fica o cofre. A agência foi um dos alvos da quadrilha, que era investigada há dois anos por agentes do Departamento de Operações Especiais da Polícia Civil (Deoesp) em parceria com a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público.

Outra estratégia dos golpistas era render os funcionários que chegavam para trabalhar. Eles eram obrigados a entregar os celulares e ficavam presos em uma sala. Os bandidos usavam luvas para não deixar impressões digitais. A ação dos assaltantes durou uma hora e meia. Eles levaram duas bolsas com dinheiro e fugiram tranquilamente.

As investigações mostram que a quadrilha praticava outros crimes.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Islande Batista, da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio, a quadrilha usava o dinheiro dos assaltos para comprar drogas e revendê-las. Os presos são suspeitos de tráfico de drogas, associação ao tráfico, porte ilegal de arma e formação de quadrilha.

Dentre os membros da quadrilha, foram presos uma mulher e um homem com ficha criminal extensa. Com o grupo, foram apreendidas duas pistolas, três motos e uma caminhonete que seriam usadas para praticar os assaltos, segundo a polícia.

Ainda de acordo com a polícia, outros suspeitos de participar dos assaltos estão foragidos.

Fonte: g1, www.g1.com.br