Réu condenado matou esposa e cunhada

Motivo do crime foi a divisão de bens do casal

O empresário João Marcelo Augustini, acusado de matar a ex-mulher e a irmã dela em dezembro de 2005, foi condenado em Piracicaba, no interior de São Paulo, a 58 anos e seis meses de reclusão, segundo o Tribunal de Justiça (TJ). Edilene Borghese Augustini, de 45 anos, foi morta com quatro tiros e sua irmã Delci Ana Borghese Igreja, com dois.

Filha de Delci, Tatiana Borghese Igreja, de 23 anos, foi ferida com dois disparos, ficou 15 dias na unidade de Terapia Intensiva (UTI) e sobreviveu. Ela foi uma das testemunhas do crime. Antes de morrer, Delci, de 47 anos, telefonou para um parente para dizer que tinha sido atingida e mencionou o nome do usineiro.

O motivo do crime foi a divisão de bens do casal. Augustini, de 52 anos, é dono de uma usina de álcool e de uma fábrica de equipamentos para o setor. O patrimônio dele na época era estimado em R$ 20 milhões.

Fonte: Estadão, www.estadao.com.br