Ronda realiza 3,5 mil prisões em um ano em Fortaleza

As patrulhas do Ronda conseguiram fazer a apreensão de 883 armas de fogo

H? exatamente um ano, os fortalezenses passaram a conviver com uma nova modalidade de Seguran?a P?blica. Os policiais militares do Programa Ronda do Quarteir?o chegavam ?s ruas. Junto com eles, entrava em execu??o o carro-chefe da campanha eleitoral do governador Cid Gomes. Desde a implanta??o do programa, em 21 de novembro de 2007, at? o ?ltimo dia 12, foram efetuadas pelos novos PMs 3.533 pris?es, resultando em flagrantes ou Termos Circunstanciados de Ocorr?ncia (TCO).

Neste mesmo per?odo, as patrulhas do Ronda conseguiram fazer a apreens?o de 883 armas de fogo, a maioria, rev?lveres encontrados em poder de assaltantes.

Recebida com certa descren?a pela popula??o, a experi?ncia foi ganhando, aos poucos, a confian?a dos fortalezenses. Um ano se passou e o projeto ampliou seu raio de a??o. Primeiro foi Fortaleza. Depois, chegou a Caucaia e Maracana?, na Regi?o Metropolitana.

N?meros

A coordena??o do Ronda do Quarteir?o afirma que ainda n?o disp?e de um apanhado geral da estat?stica da criminalidade nas ?reas beneficiadas pelo programa, mas sustenta ter havido uma redu??o nos ?ndices de crimes contra a vida (homic?dios e tentativas de assassinato) e contra o patrim?nio (assaltos e furtos).

Hoje, o programa conta com 1.537 militares. Desse total, 59 por cento s?o novos policiais e 41 por cento PMs veteranos. Para o trabalho di?rio s?o utilizadas 122 viaturas (Hilux) e 132 motopatrulhas.

A promessa do Governo do Estado era de que, at? o fim deste ano, o programa chegasse aos outros dez Munic?pios restantes na Regi?o Metropolitana de Fortaleza.

Outra promessa ? de que, at? o fim de 2009, o programa se estenda a oito cidades do Interior: Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Crate?s, Sobral, Iguatu, Itapipoca e Canind?.

Conforme o coordenador do programa, coronel PM Joel Costa Brasil, o governo do Estado ainda quer levar o Ronda a todos os Munic?pios cearenses com mais de 50 mil habitantes. Para isso, segundo ele, dever?o ser contratados mais dois mil policiais, atrav?s de concurso p?blico.

?O Ronda do Quarteir?o n?o s?o apenas viaturas e policiais bem fardados e equipados. A motiva??o dos policiais envolvidos ? que tem resultado no sucesso do programa, com o apoio das comunidades. As pessoas que trabalham e as que s?o atendidas prontamente ? que fazem o ?xito do servi?o?, afirma o militar.

Cr?ticas

Antes de o projeto ser implantado, o governo estadual enfrentou severas cr?ticas da oposi??o na Assembl?ia Legislativa, por conta dos altos valores empregados na aquisi??o das viaturas. Caminhonetes importadas, custando cada uma delas a quantia de R$ 150 mil, tiveram ainda que ser dotadas de equipamentos que, at? agora, n?o tiveram nenhuma efici?ncia comprovada, como as c?meras instaladas nos ve?culos, que filmam mas n?o gravam as imagens das ocorr?ncias.

Outra falha de planejamento no programa, apontada pelos cr?ticos, foi a aquisi??o de motocicletas potentes que seriam utilizadas em apoio ?s patrulhas nas caminhonetes. Subutilizadas, as motos - modelo Falcon - acabaram sofrendo problemas mec?nicos e tiveram que ser - todas - recolhidas para reparos mec?nicos.

Em um ano, o Ronda tamb?m acabou sendo motivo de um incidente disciplinar, quando dois soldados terminaram sendo presos depois de um bate-boca com dois oficiais (majores) que estavam em um bar e foram acusados de colocar o som de seus ve?culos em alto volume. Os soldados Cristiano Castro e Robson Randaw foram presos e recolhidos ao Pres?dio Militar, depois de terem discutido com os majores J?lio C?sar Passos Pereira e Carlos Passos. O incidente foi parar no Comando-Geral da PM, que determinou a instaura??o de um Inqu?rito Policial Militar (IPM).

Assassinado

Outro fato que abalou a corpora??o foi o assassinato do soldado PM Carlos Henrique de Carvalho Lima, 24, rec?m-aprovado para o Ronda. Ele foi morto, a tiros, por assaltantes, logo no seu primeiro dia de trabalho.

MUDAN?A

Motopatrulhas deixam de acompanhar as caminhonetes

Depois de um ano de funcionamento, o Programa Ronda do Quarteir?o sofre sua primeira grande mudan?a. O objetivo, segundo seu comandante, ? a melhoria do atendimento prestado ? popula??o no ?mbito da seguran?a p?blica.

A nova forma de atua??o do Ronda do Quarteir?o envolve diretamente os motopatrulheiros do programa. Agora, eles atuam em duplas, separados das viaturas, que passam a funcionar como refer?ncia e apoio. E j? est?o nas ruas, em 21 comunidades. Os motopatrulheiros refor?aram as a?es de policiamento ostensivo e preventivo, desde o ?ltimo dia 10, em bairros de Fortaleza e na Regi?o Metropolitana.

Antes, os motopatrulheiros atuavam junto ?s viaturas. A rela??o era de uma motocicleta para cada viatura do Ronda do Quarteir?o. Na nova modalidade de a??o, duplas de policiais militares em motos ampliam o policiamento comunit?rio.

Recolhidas

Inicialmente, os motopatrulheiros est?o atuando em 21 comunidades de Fortaleza e da Regi?o Metropolitana, escolhidas com base em tr?s crit?rios. Foram eles: densidade demogr?fica, demanda de ocorr?ncias policiais e a tipicidade dos crimes registrados. Dentre as ?reas contempladas, inicialmente, est?o o Conjunto Cear?, Bom Jardim, Pirambu, Montese, Jereissati I e Paju?ara, al?m do Centro.

As motos do Ronda do Quarteir?o estavam recolhidas desde setembro passado.

PROTAGONISTAS

Coordenador ressalta objetivos do programa

Cel. PM Joel Costa Brasil

O secret?rio executivo da Secretaria de Seguran?a P?blica e Defesa Social (SSPDS), coronel PM Joel Costa Brasil, ? coordenador do Ronda do Quarteir?o. Ele diz que o programa atingiu seus objetivos e ressalta que os PMs destacados para uma determinada ?rea permanecem junto ? mesma comunidade para criar uma rela??o de confian?a. ?O objetivo ? interagir e zelar pela seguran?a?.

Fonte: Diário do Nordeste