Ciúmes do marido podem ter motivado mãe a matar próprio filho

Ciúmes do marido podem ter motivado mãe a matar próprio filho

Um mês antes do crime, o marido José Geraldo dos Santos Reis saiu de casa para morar com a vítima Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/

Apesar das brigas constantes por dinheiro, não foi apenas a ganância que motivou Maria Selma Costa dos Santos, de 70 anos, a encomendar a morte do próprio filho. Um mês antes do crime, o marido José Geraldo dos Santos Reis saiu de casa para morar com a vítima. Abandonada, a idosa responsabilizava o filho.

? Foi um choque. Ela nunca imaginou que o marido tivesse coragem de ficar longe dela. Mas ele saiu para morar com o filho. A Dona Selma se sentiu traída ? contou uma pessoa ligada à família, que não quis se identificar.

Aos 90 anos, o idoso saiu de casa porque dizia que ?não era bem tratado?. Mesmo assim, o empresário José Fernandes dos Santos Reis continuou convivendo com a mãe, já que o escritório dele ficava na casa da família, na Rua José de Alvarenga, no centro de Duque de Caxias. Mas as discussões entre mãe e filho se intensificaram.

A pior delas ocorreu às vésperas do crime e foi contada por uma testemunha, que relatou a história na 59ª DP (Duque de Caxias). Durante uma briga por causa de dinheiro, Maria Selma chamou o filho de ?ladrão?. Irritado, José Fernandes disse que daria um soco na mãe, se ela fosse homem.

? Isso deixou ela muito chocada. Ela chorava todas as noites e dizia que ele iria pagar por isso. Mas nunca imaginaria que ela fosse fazer o que fez ? disse.

Ele chegou, inclusive, a ser aconselhado pela mulher, a professora Vânia Filgueiras Lopes, a montar escritório em outro local, para evitar confusões com a mãe.

Mesmo depois da morte do filho, José Geraldo não voltou mais para a casa da mulher. Até hoje, ele está sob os cuidados da viúva, a professora Vania Filgueiras Lopes, que mora com o filho de 15 anos num apartamento na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

TESTEMUNHAS INTIMIDADAS

Plano arquitetado - Depois da saída do marido de casa, Maria Selma passou a arquitetar o plano para encomendar o assassinato do próprio filho.

Os envolvidos - Segundo a polícia, o crime envolveu a doméstica Maria José da Silva Irmã, que disse ter pago R$ 20 mil para Isaac Paula de Moraes executar o empresário.

Prisão temporária - As três pessoas supostamente envolvidas no crime foram presas temporariamente pela 59ª DP (Duque de Caxias), que investiga o caso.

Prazo para denúncia - A polícia tem um prazo de 30 dias para entregar o inquérito ao Ministério Público.

MP acompanha - O caso é acompanhado de perto pela promotora Claudia Portocarrero, da 4ª Promotoria de Investigação Penal. ?As prisões eram necessárias. Esse caso mobilizou a polícia e chocou a opinião pública?, disse.

Novo depoimento - Nesta quinta-feira, as testemunhas foram intimadas a depor novamente, já que a polícia acredita que Maria Selma as intimidava.

Fonte: Extra