Sargento de 51 anos é acusado de estuprar garoto de 16

O pai do menor de 16 anos disse que o sargento sempre levava o adolescente para a casa dele

Um sargento da Polícia Militar de Tupaciguara, no Triângulo Mineiro, é suspeito de ter estuprado um adolescente de 16 anos com problemas psicológicos. O policial, de 51 anos, vai responder a um procedimento administrativo e corre o risco de ser expulso da corporação. Segundo a Polícia Militar (PM) do município, o militar já foi transferido de cidade como medida disciplinar por ser suspeito de molestar uma adolescente no ano passado.

O pai do menor de 16 anos disse que o sargento sempre levava o adolescente para a casa dele, dizendo que tomariam banho de piscina e jogariam sinuca. Desde junho do ano passado o menor sempre reclamava com os pais de que estaria sendo abusado pelo militar. ?A gente não acreditava que uma autoridade e pai de família pudesse fazer uma coisa dessas?, afirmou.

Segundo o funcionário público, o adolescente contou a história para uma amiga da família que procurou, juntamente com os pais, a ajuda do Conselho Tutelar de Tupaciguara. As conselheiras orientaram a família e foram junto com eles ao quartel da cidade onde registraram a ocorrência, no dia 17 de maio. ?Uma situação muito constrangedora para os pais. A gente confia em uma autoridade e ele faz essas coisas. Uma pessoa dessa tem que perder a farda?, lamentou o pai do adolescente.

O comandante do batalhão de Tupaciguara, capitão Ramon Tomaz Pereira, afirmou que eles foram ouvidos. ?O menor chegou a dizer que o fato tinha acontecido há 15 dias, mas depois de ouví-lo novamente foi descoberto que o fato tinha acontecido em maio de 2011. Mesmo assim, encaminhamos o menor para fazer um exame de corpo de delito?, explicou o comandante.

Foi aberto um procedimento administrativo na PM para apurar a denúncia feita pelo adolescente. O capitão Ramon afirmou que o processo tem 30 dias para ser concluído. ?Da nossa parte abrimos uma sindicância para saber se ele continua ou não na comporação?, ressaltou.

Segundo procedimento

O comandante do pelotão de Tupaciguara afirmou que o sargento reponde por um procedimento administrativo por ter molestado uma adolescente de 14 anos em junho de 2011. O caso, entretanto, foi denunciado apenas em janeiro deste ano. Ainda segundo Ramon, a jovem namorou um rapaz que teve relação com ela.

?Desconfiados que poderia ser um crime de estupro, os pais dela procuraram o sargento que era de confiança da família. Se aproveitando disso, o militar mandou a menina tirar a roupa e colocou o dedo na vagina dela alegando teste de virgindade?, afirmou Ramon. Um processo administrativo foi instaurado e foi determinado que o sargento fosse transferido de cidade como medida disciplinar.

Expulsão da PM

O comandante da 9ª Regional de Polícia Militar, coronel Dilmar Crovatto, explicou que a denúncia feita em maio pelo adolescente não anula o primeiro procedimento, que teve início em janeiro. ?O sargento passou por um processo administrativo e já foi transferido como medida disciplinar. Houve nova denúncia e se a falta for confirmada evoluirá para outro processo administrativo disciplinar. Nos dois casos a sanção máxima é demissão da Polícia Militar?, ressaltou o coronel. De acordo com a PM de Tupaciguara, o sargento seria reformado em setembro.

Justiça comum

O sargento também vai responder pelo crime de estupro na Justiça. O delegado da Polícia Civil de Tupaciguara, Armando Papacidero, informou que foi instaurado um inquérito que está tramitando. O adolescente, testemunhas e os pais da vítima foram ouvidos e o prontuário médico foi anexado ao relatório do Conselho Tutelar. Papacidero ressaltou que o inquérito está em fase de conclusão.

Fonte: G1