Sargento é preso por de estuprar 9 mulheres, incluindo sobrinha

Sargento é preso por de estuprar 9 mulheres, incluindo sobrinha

Inquérito aponta que uma das mulheres violentadas é sobrinha do militar

Um sargento do Exército acusado de estuprar nove mulheres foi preso, no começo da tarde desta quinta-feira (09), no Recife. O homem tem 40 anos e é lotado no 4º Batalhão de Polícia do Exército.

A investigação, conduzida pela delegacia da Várzea, começou há oito meses, quando os policiais apuravam casos de estupro ocorridos nos bairros de Roda de Fogo, Torrões, Cordeiro e Várzea. Os agentes chegaram ao sargento porque, dois meses atrás, ele esteve na delegacia para registrar uma queixa: uma sobrinha dele, ao devolver o carro que tinha pego emprestado do tio, foi surpreendida por dois homens, que a atacaram e a estupraram.

Ainda segundo a polícia, a sobrinha - uma jovem de 18 anos - só prestou queixa dois dias depois. De acordo com o que foi apurado no inquérito, a sobrinha é uma das vítimas do sargento. O mandado de prisão preventiva foi expedido pela juíza Marylusia Pereira Feitosa Dias de Araújo, da 9ª Vara Criminal da Capital, no dia 27 de julho.

A ordem judicial foi cumprida nesta tarde, primeiro dia após o fim da greve dos policiais civis. Os agentes telefonaram para a casa do sargento, informando que haviam prendido um suspeito de estuprar a sobrinha e convidando-o a ir à delegacia. Quando chegou à unidade policial, o militar foi preso.

"Ele fez o que quis comigo. Eu até pensei em reagir, mas como ele estava com um revólver, não pude fazer nada. A minha sensação agora é de alívio", diz uma dona de casa de 24 anos que foi vítima do suspeito no ano passado - abordada no bairro da Várzea, foi levada para a Favela do Detran e violentada no local.

Outra vítima, que tem hoje 21 anos e, na época do crime, tinha 20, é uma estudante universitária. "Nunca imaginei que passaria por isso na vida. Meu pai sofreu muito e eu também, mas tento não deixar que isso interfira na minha vida. Não posso generalizar, nem todo mundo é igual e eu continuo confiando nas pessoas", afirma.

Nove inquéritos

São nove os inquéritos de estupro contra o sargento e todas as vítimas que foram à delegacia já o reconheceram. Os policiais informaram que estão aguardando a chegada do promotor de justiça para oficializar o reconhecimento já confirmado pelas mulheres.

O sargento vai ser indiciado por estupro, roubo, lesão corporal e tentativa de homicídio. A acusação de roubo se deve ao modo como ele abordava as vítimas: primeiro anunciava um assalto e, ameaçando as mulheres com uma faca ou revólver, levava as vítimas para o local onde cometia o crime sexual. Algumas das mulheres chegaram a reagir e ficaram feridas - o que justifica a acusação de lesão corporal; uma delas foi ferida mais gravemente e teve um dos pulmões perfurados, o que explica a acusação de tentativa de homicídio.

Após prestar depoimento e passar pelo reconhecimento das vítimas, o sargento vai ser encaminhado para o quartel do 4º BPE, onde ficará à disposição da Justiça.

Os policiais informaram, ainda, que o sargento é reincidente: em 2006, quando era cabo, foi acusado de atentado violento ao pudor contra adolescente. Sobre esse caso, há inquéritos nas justiças comum e militar, mas os investigadores não souberam informar outros detalhes desse crime.

Fonte: G1