Sargento vai a júri popular acusado de metralhar adolescente em abordagem

Outros três PMs foram absolvidos e mais dois foram pronunciados por tentativa de homicídio

O sargento Adriano de Jesus Xavier vai à júri popular sob a acusação de assassinar, a tiros de submetralhadora, o adolescente Maycon Rodrigues de Moraes, 17 anos, durante abordagem policial, decidiu o juiz Gilberto Ferreira da Cruz, do Tribunal do Júri. Ainda cabe recurso da decisão.

Xavier é acusado de usar a submetralhadora Taurus, de número de série FM 07467, de propriedade da Polícia Militar, para cometer o crime.

Outros dois policiais ? o cabo Alexandre Nobre da Silva e o soldado Ricardo Freitas de Aquino ? responderão, segundo decisão do magistrado, por ferir, a tiros de pistola, Waterley Marques da Silva Junior, 18 anos, ocorrida na mesma ocasião.

O caso ocorreu em dezembro de 2012, após Moares e Silva Junior, que estavam juntos em um Passat, serem parados pela polícia na rua Basílio Alves Morango, Vila Medeiros.

Absolvidos

Outros três PMs envolvidos na ocorrência ? o tenente Alisson Guimarães Pereira de Souza e os soldados Mario Luiz Pires Guarnieri e Humberto de Almeida Batista ? receberam absolvição sumária.

Segundo a decisão do juiz, o exame balístico comprovou apenas que Xavier, Silva e Aquino atiraram.

Após o caso, os PMs afirmaram à Polícia Civil que havia ocorrido um confronto. Pessoas que estava no local no momento da abordagem, porém, negaram a versão dos policiais. Os militares foram, então, presos em flagrante.

Após a ação policial, moradores do bairro iniciaram uma série de protestos, ateando fogo em ônibus. Dois passageiros morreram durante os ataques.8

No início do ano passado, os acusados receberam alvará de soltura. Xavier, Aquino e Guarnieri foram transferidos de batalhão. Souza, Batista e Silva seguem na região ? no final do ano passado, o tenente Souza e o soldado Batista prenderam uma das testemunhas do processo sob a acusação de roubo.

Fonte: r7