Saudita é condenado a 1.000 chicotadas por falar de sexo

O programa sobre sexo irritou as autoridades do país conservador

Um saudita foi condenado a ficar cinco anos na prisão e levar mil chicotadas por ter se vangloriado de suas aventuras sexuais em um programa de TV.

Segundo informações do Ministério da Informação da Arábia Saudita, Mazen Abdul Jawad, de 32 anos, falou abertamente a um canal Libanês sobre sua vida sexual, seu amor pelo sexo e de ter deixado de ser virgem aos 14 anos. A sede do canal no país foi fechada após a transmissão e Jawad foi preso sob acusação de "fazer apologia ao vício", segundo a rede de TV CNN.

O programa sobre sexo irritou as autoridades do país conservador, onde a lei islâmica é exigida e o sexo antes do casamento é considerado ilegal. Segundo um porta-voz da polícia, falar sobre atos promíscuos no país é uma violação da sharia e dos costumes sauditas.

Fonte: g1, www.g1.com.br