'Se estivesse armado, ele tinha tomado tiro', diz assaltante alvo de selfie

'Se estivesse armado, ele tinha tomado tiro', diz assaltante alvo de selfie

'Se estivesse armado, ele tinha tomado tiro', diz assaltante alvo de selfie

Preso após tentar assaltar um rapaz, ser imobilizado e ter se tornado alvo de uma 'selfie', o suspeito de assalto Elivan de Almeida, de 18 anos, disse estar arrependido. Em entrevista ao jornal A Gazeta, Elivan alegou que precisava de dinheiro para pagar aluguel.

O instalador de ar condicionado, de 19 anos, reagiu a um assalto, imobilizou o criminoso e tirou uma 'selfie' com o assaltante, Elivan de Almeida, enquanto aguardava a chegada da polícia. O caso aconteceu na noite de terça-feira (5), na Rua Henrique Laranja, em Paul, Vila Velha, na Grande Vitória. A polícia chegou ao local e encaminhou o suspeito ao Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) do município. Ele foi transferido para o Centro de Triagem de Viana.

Elivan demonstrou revolta sobre a fotografia feita pelo rapaz assaltado. Ele classificou a atitude como "uma palhaçada" e disse ter se sentido humilhado. Caso encontrasse a vítima novamente, ele garantiu que pediria desculpas. "Eu falaria que estou arrependido, até mesmo porque não vou ver o meu filho nascer. Espero que ele me perdoe. Também espero que minha mulher me perdoe. Dessa vez, eu vou mudar. Peço que ela me espere. O diabo que colocou isso na minha cabeça", disse.

Apesar do arrependimento, ele alega que, caso estivesse armado, teria atirado na vítima. "Eu vi ele na rua e 'fui fazer a fita'. Ele viu que eu não estava armado e reagiu. Se eu estivesse armado, ele tinha tomado um tiro", declarou.
Autuado por tentativa de roubo, o jovem contou que a mulher está grávida. "Eu estava precisando e necessitado. Estou com uma filha para nascer. Eu precisava do dinheiro para pagar o aluguel. A minha mulher mora comigo e está grávida de três meses", alegou.

Segurança

A Polícia Militar orienta a população a não reagir a assaltos. A atitude do rapaz que fez a selfie é considerada arriscada. A Polícia Civil também alerta os cidadãos. "O bem material pode ser recuperado posteriormente. Deve-se evitar fazer movimentos bruscos e, assim que possível, ligar para o 190 comunicando o fato", orienta o delegado Josemar Sperandio, da Delegacia Patrimonial.



Fonte: G1