Secretário da Copa 2014 é encontrado morto

O corpo do secretário foi primeiramente encontrado por uma camareira

O secretário para a Copa 2014 no Rio Grande do Sul, Ricardo Seibel Freitas de Lima, 35 anos, foi encontrado morto em um hotel de Brasília na tarde desta terça-feira (1). Lima estava em Brasília para uma série de reuniões junto aos ministérios para tratar de investimentos para Porto Alegre, uma das capitais que vai sediar os jogos da Copa 2014. A Polícia Civil investiga o caso.

O corpo do secretário foi primeiramente encontrado por uma camareira. Logo após, a direção do hotel entrou em contato com os representantes do governo do estado. Um dos que foi chamado para o hotel foi o representante do Rio Grande do Sul em Brasília, Mário Nogueira. De acordo com Nogueira, Lima estava de bermudas, ajoelhado próximo ao sofá. Uma lata de cerveja estava perto, praticamente cheia. O computador usado por Lima estava ligado, e o celular carregando. A Polícia Civil foi chamada no local e está investigando o caso. Segundo Nogueira, a polícia já teria descartado a possibilidade de latrocínio (roubo seguido de morte).

" Ele chegou ontem a Brasília, tinha ido ao shopping fazer compras e depois voltou para o hotel. Depois, não soubemos mais. O corpo estava ajoelhado próximo ao sofá. Desconfiamos que tenha sido um mal súbido. Falei com o pai del,e que afirmou que ele era bem de saúde, que não tomava medicamentos", contou o representante do governo do Rio Grande do Sul.

O corpo de Lima foi levado ainda nesta tarde para o Instituto Médico Legal (IML), onde passará por uma autópsia. A previsão é que seja liberado até o final da manhã desta quarta-feira, quando será levado em um jato do governo do estado para Porto Alegre. O velório será no salão nobre do Estádio Olímpico. A governadora Yeda Crusisu decretou luto oficial de três dias no estado.

Segundo caso

Esse é o segundo caso de um representante do governo do Rio Grande do Sul que é encontrado morto em Brasília. Em fevereiro de 2009, o então representante do governo na capital, Marcelo Cavalcante, foi encontrado morto nas águas no Lago Paranoá. A Polícia Civil ainda não concluiu o inquérito sobre a morte.

Fonte: g1, www.g1.com.br