Segurança: Piauí ganhará sua primeira tropa de choque

Segurança: Piauí ganhará sua primeira tropa de choque

De acordo com o capitão Fábio Abreu, o curso, que começou com 46 policiais voluntários, hoje conta 30 alunos na turma

O Piauí está prestes a ganhar sua primeira Tropa de Choque da Polícia Militar para combater situações de conflito extremo. O curso Controle de Distúrbios Civis, com carga horária total de 360 horas, vem sendo ministrado desde o dia 28 de dezembro de 2010, com sede no prédio das Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone), e tem previsão de término para o próximo dia 30 de janeiro.

De acordo com o capitão Fábio Abreu, o curso, que começou com 46 policiais voluntários, hoje conta 30 alunos na turma, os quais recebem instruções teóricas e práticas. Essas instruções abrangem embasamento legal (noções de legislação e Direitos Humanos), treinamento físico militar, aulas sobre tipos e técnicas de formação, além de trabalhos envolvendo o uso de material químico, como granadas e bombas de gás.

O curso tem como sede o prédio da Rone, mas os alunos estão passando por treinamentos práticos em vários outros locais, como presídios e estádios, de acordo com a necessidade de reprodução das situações de risco.

Policiais treinam várias formações

O treinamento é bastante intenso. Algumas atividades que visam reproduzir riscos reais de utilização de materiais químicos acabam provocando desistências por parte dos policiais em treino, como no caso da exposição a bombas de gás lacrimogêneo.

Além dos instrutores locais, tenente Losane, major James e o próprio capitão Fábio Abreu, o Controle de Distúrbios Civis (CDC) tem ainda instrutores vindos de outros estados. ?Nós estamos dimensionando instruções para eles de controle de distúrbio civil, o pelotão de choque, aplicado ao policiamento em eventos, já visando os jogos da Copa do Mundo e os eventos que terão no Brasil no decorrer desses anos. Também está sendo trabalhada a aplicação da tropa de choque em revista e em estabelecimento prisional rebelado, que é uma parte importante da tropa de choque para controle das situações de maior risco?, explicou o capitão Alves, de São Paulo, um dos instrutores.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br