Seis acusados de estupro coletivo são considerados foragidos

Os acusados não foram encontrados durante Operação nesta segunda

Estão sendo considerados foragidos da Justiça os seis homens envolvidos no estupro coletivo de uma jovem de 16 anos no Morro do Barão, na Praça Seca, em Jacarepaguá, Rio de Janeiro.

O Diretor do Departamento Geral de Policia Especializada (DPGE), Ronaldo de Oliveira, disse que os acusados não foram encontrados durante operação realizada na manhã desta segunda-feira (30). Ele ressaltou que alguns deles devem se apresentar com seus advogados.

Estão sendo procurados pela Polícia Sérgio Luiz da Silva Júnior, conhecido como Da Russa; Marcelo Miranda da Cruz Correa; Raphael Assis Duarte Belo; Michel Brasil da Silva; Lucas Perdomo Duarte Santos; e Raí de Souza. Da Russa é o chefe do tráfico do Morro do Barão, na Praça Seca.

- Hoje resolvemos cumprir alguns mandados de prisão que a Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav) representou de madrugada. Foram três delegacias mais a Core em vários locais, mas eles não estavam em nenhum. Vamos continuar fazendo diligências na tentativa de prender os envolvidos. Até agora, todos são considerados foragidos. Nenhum material foi apreendido. Fomos aos endereços dessas pessoas e de parentes também.

Os agentes, com apoio de outras unidades da Polícia Civil, estiveram em comunidades como Cidade de Deus e Rola, além dos bairros do Recreio dos Bandeirantes, Taquara e Praça Seca, todos na Zona Oeste.

A Polícia Civil informou neste domingo que inquérito sobre estupro coletivo da adolescente foi transferido para Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav) e está sob o comando da delegada Cristiana Bento. Antes, o responsável era o delegado Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressãos aos Crimes de Informática (DRCI), mas ele recebeu várias críticas e a advogada da menor havia pedido afastamento dele alegando que sua cliente foi constrangida pelo delegado.


Seis acusado do estupro são considerados foragidos da Justiça
Seis acusado do estupro são considerados foragidos da Justiça



Fonte: OGlobo