Seis pessoas da mesma família são encontradas mortas em SC

Homem é suspeito de matar cinco familiares e se suicidar em SC

Seis corpos de pessoas pertencentes à mesma família foram encontrados na manhã desta quinta-feira (26) no distrito rural de Fernando Machado, em Cordilheira Alta (SC), a 560 km de Florianópolis.


A polícia trabalha com a hipótese de que o funcionário público municipal e técnico agrícola Alcir Pederssetti, 42, tenha matado cinco membros da própria família e cometido suicídio, por motivos ainda desconhecidos, por volta das 4h da madrugada --horário em que os vizinhos ouviram tiros.  

 Além de Alcir os mortos são a esposa Mônica (33), os pais dela Antônio (68) e Luiza (65) Moresco, a cunhada Lucimar Moresco (36) e a filha adolescente, Lana (16).


Estes foram os primeiros assassinatos na pacata Cordilheira Alta desde a fundação da cidade, em 1992.

Todos os mortos viviam na mesma casa, ampla e confortável, na vila rural de apenas 600 moradores, a 6 km do centro de Cordilheira. As famílias eram descendentes de imigrantes italianos, como a maioria dos 5.000 habitantes da cidade.

A perícia preliminar indicou que a casa não foi arrombada e nada foi roubado – os carros Fox e Fiesta da família estavam estacionados no pátio e na garagem.

Quem descobriu os corpos foi a empregada da família às 7h30. A primeira autoridade a chegar à casa foi o sargento PM  Ângelo Martins.
Em entrevista por telefone, ele disse que era amigo íntimo de Alcir. Os dois jogaram futebol juntos no ginásio municipal, na noite anterior, até 20h30, e haviam combinado um jantar para esta quinta com um grupo de amigos.

O sargento disse que chegou ao local às 7h50 e que caminhou pela casa para avaliar o quadro: "Encontrei o Alcir e a Lana no chão da sala. Os sogros estavam num quarto, a mulher e a cunhada noutro. Não havia sinais de luta".

Ele disse acreditar que todas as vítimas foram baleadas na cabeça: "Encontrei ao lado de Alcir um revólver Taurus calibre 38 com nove cápsulas deflagradas".

"Não vi sangue no resto dos corpos, posso estar enganado, mas tenho quase certeza que todos os tiros foram na cabeça". Ele não soube precisar se alguém levou mais de um tiro, já que eram seis os mortos e nove os cartuchos encontrados.

Segundo Martins, Alcir estava vestido com uma bermuda jeans e camiseta branca. A filha estava do lado dele, com a cabeça na altura do peito do pai.

Ele disse que nem ele nem a Polícia Civil divulgaram a hipótese de assassinato seguido de suicídio, mas que "isto é o que parece ter acontecido".

Sobre a hipótese de suicídio o sargento disse que "na noite do futebol ele se comportou como sempre, não posso imaginar nada".

O único parente conhecido das vítimas é um filho de Alcir, de 17 anos, de um relacionamento anterior.

A prefeitura decretou ponto facultativo. O enterro será amanhã no cemitério municipal.

Fonte: UOL