Sobrinho diz que atirador queria atacar Cristo Redentor, diz polícia

Ele disse, em depoimento à polícia, que Wellington Menezes de Oliveira era "muito tímido, e não tinha vida social,

O sobrinho do atirador da escola Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, disse, em depoimento à polícia, que Wellington Menezes de Oliveira era "muito tímido, e não tinha vida social, pois ficava trancado em seu quarto utilizando a internet no computador".

O sobrinho disse ainda que depois do atentado às torres gêmeas, em Nova York, Wellington dizia que faria o mesmo com o Cristo Redentor.

Ele declarou ainda que o assassino andava muito estranho, e deixou a barba até o peito. Mas o sobrinho afirmou que nunca soube que ele tinha armas de fogo. Disse que o tio era "zoado" no trabalho por outros funcionários.

Uma peça-chave para determinar o comportamento e os interesses de Wellington foi recolhida para análise: o computador, que, segundo vizinhos, era utilizado todas as noites pelo rapaz. Ele pode ter sido usado para criar um perfil no site de relacionamentos orkut. O dono do perfil aparece como criador da comunidade "entendendo a Bíblia Sagrada", que foi criada no dia 26 de março, quase duas semanas antes do massacre. Entre os tópicos, a frase "Jesus não falou com os mortos?.

O Google, proprietário do Orkut, informou que não é possível alterar a data de criação de uma comunidade.

O autor do perfil postou fotos de um cemitério e de um corpo ensanguentado, todas acompanhadas por citações bíblicas, aos livros de Eclesiastes, Ezequiel e Jeremias.

Na tarde desta sexta-feira, o perfil foi apagado do Orkut. A empresa Google informou que pode remover perfis com conteúdo inadequado às políticas do site.

Fonte: g1, www.g1.com.br