Sogra é condenada a 32 anos de prisão por morte de alemã em PE

A maior pena foi recebida pela sogra da vítima, Delma Freire de Medeiros, apontada como mentora do crime.

Quatro réus acusados de participar da morte da alemã Jennifer Kloker foram condenados nesta quinta-feira a penas que variam de 14 a 32 anos de prisão, inicialmente em regime fechado. A maior pena foi recebida pela sogra da vítima, Delma Freire de Medeiros, apontada como mentora do crime. A setença foi lida às 17h20 pela juíza Marinês Viana, da Vara Criminal de São Lourenço da Mata (PE), após quatro dias de julgamento.

Jennifer tinha 22 anos à época do crime, em fevereiro de 2010. Ela foi morta em uma estrada de Pernambuco, supostamente devido a um seguro de vida que tinha feito em benefício do marido, Pablo Tonelli. Além dele e da sogra, são réus confessos Ferdinando Tonelli, pai de Pablo, e Alexsandro Neves dos Santos, segurança que teria sido contratado para executar a alemã. Outro réu é Dinarte Dantas de Medeiros, irmão de Delma, que teria apresentado Alexsandro ao grupo.

O crime ocorreu na noite de 16 de fevereiro de 2010, uma terça-feira de Carnaval. De acordo com a polícia, a alemã, seu marido, o filho do casal de 2 anos, a sogra (Delma) e o marido dela (Ferdinando), estavam passeando em um carro alugado. Na altura do km 97 da BR-408, pararam o carro com a desculpa de que iriam oferecer carona para o vigilante desempregado Alexsandro Neves dos Santos, que teria sido contratado pela família para executar a vítima. Em local deserto, o carro parou novamente, Alexsandro teria puxado Jennifer para fora do carro e dado três tiros na alemã. Ferdinando, Delma, Pablo e o filho teriam saído pela outra porta do carro, denunciando o assalto do carro e o suposto sequestro de Jennifer à polícia.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE), a pena de Delma foi de 32 anos. Ferdinando e Pablo Tonelli foram condenados, cada um, a 25 anos e seis meses. A pena de Dinarte Dantas foi de 14 anos e 4 meses de reclusão. Os quatro acusados foram condenados pelos crimes de formação de quadrilha e homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e sem dar chance de defesa para a vítima). Delma Freire ainda foi condenada por fraude processual.

Delma, Pablo e Ferdinando continuarão presos e serão levados para as unidades em que já estavam custodiados. Delma vai para a Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima, enquanto Pablo e Ferdinando voltam para o presídio Aníbal Bruno. Dinarte Dantas é o único que vai aguardar, em liberdade, o trânsito em julgado da decisão. A defesa dos acusados ainda pode recorrer da sentença.

O quinto acusado pelo crime, Alexsandro Neves dos Santos, teve seu julgamento remarcado para o dia 27 de fevereiro de 2013, pois seu advogado não compareceu ao fórum no início do julgamento, o que impedia o direito de ampla defesa do réu.

Fonte: Terra