Suposto cliente não paga programa e mata travesti atropelado

Suposto cliente não paga programa e mata travesti atropelado

O travesti foi encontrado no chão com um grave ferimento na cabeça.

A Polícia Civil investiga a morte de um travesti que morreu atropelado na manhã deste domingo (7) na esquina da Alameda dos Piratinis e da Avenida Moaci, em Moema, na Zona Sul de São Paulo. Vanderson Viegas Silva, de 25 anos, conhecido como Sheila, trabalhava na região.

Uma testemunha disse à polícia que Sheila chegou em um carro com um suposto cliente, em um hotel, perto do Aeroporto de Congonhas, também na Zona Sul. Eles não chegaram a se hospedar. No estacionamento, Sheila desceu do carro e subiu no capô do veículo quando observou que o motorista iria deixar o local. O carro arrancou com ela em cima.

Uma quadra à frente, o travesti foi encontrado no chão com um grave ferimento na cabeça e morreu ao chegar ao hospital por causa de um traumatismo craniano.

Há suspeita de que o carro tenha atropelado o travesti antes de fugir. Uma amiga, que pediu para não ser identificada, conversou com outros travestis e contou o que teria ocorrido. "Ela entrou no hotel, fez o programa e, quando saiu, ele não quis pagar. Ela ficou na frente do carro dele, em cima do capô. Ele saiu com o carro e jogou ela longe. Quando ela caiu, ele invés de ir embora, passou por cima do corpo dela", afirmou.

No domingo, os policiais do 27º Distrito Policial, no Campo Belo, percorreram a região onde o travesti trabalhava em busca de imagens de circuitos de segurança que possam ajudar nas investigações. A única informação concreta é a de que o carro era de cor prata. Segundo a polícia, o hotel tem um circuito interno, mas o último registro é do dia 29 de setembro.

Fonte: G1