Suspeita de matar amiga depõe: "Pesquisamos na internet como fazer"

Bianca Pazzinato, de 18 anos, teria sido assassinada pelas duas colegas.


Suspeita de matar amiga depõe:

Sob forte esquema de segurança, o juiz Thiago Soares Castelliano interrogou, na tarde desta segunda-feira (5), as adolescentes de 16 e 17 anos suspeitas de matar a facadas a estudante Bianca Mantelli Pazzinato, de 18 anos. Durante a audiência, no Fórum de Jataí, cidade do sudoeste goiano onde o assassinato aconteceu, a garota de 17 anos deu a sua versão para os fatos: "Durante uma semana planejamos tudo, pesquisamos na internet como matar uma pessoa".

A imprensa não foi autorizada a entrar, mas o interrogatório foi acompanhado pela assessoria de Tribunal de Justiça de Goiás, que repassou as falas da adolescente à imprensa. Primeira a ser interrogada, a adolescente de 17 anos disse que matou a vítima porque não conseguiria vê-la com outra pessoa.

O interrogatório durou menos de uma hora. A adolescente disse que começou um namoro com Bianca no dia 3 de março deste ano. Segundo ela, a outra menor a ajudou no crime "por questão de amizade". Ela chorou ao olhar para a mãe e disse: ?Estou muito arrependida, principalmente quando penso nas famílias?.

A estudante atribuiu a preparação do crime à amiga de 16 anos que teria, inclusive, comprado todo o material utilizado no assassinato de Bianca. "Sempre a achei uma pessoa agressiva e eu sabia que ela iria fazer isso por mim?, relatou.

Logo após o interrogatório da adolescente de 17 anos, o juiz deu início à audiência da menina de 16 anos. Ela, no entanto, preferiu exercer o direito de se manter calada, recusando-se a responder às perguntas.

Nova audiência

Uma nova audiência foi marcada para 19 de setembro, quando devem ser ouvidas sete testemunhas de acusação. A defesa terá até a quinta-feira (8) para apresentar suas testemunhas.

Apesar do inquérito não estar totalmente concluído, o Ministério Público ofereceu representação criminal pedindo a aplicação de medida socioeducativa de internação pelo prazo máximo de três anos. Até que saia a sentença, as garotas ficam sob custódia no Centro de Internação de Goiânia, de onde saíram nesta manhã para serem interrogadas e para onde devem voltar ainda nesta segunda-feira.

As menores estão apreendidas em Goiânia a pedido do Conselho Tutelar de Jataí. O órgão temia que elas pudessem ser linchadas se permanecessem na cidade, já que há uma forte comoção popular com a morte de Bianca.

Morte

Bianca foi assassinada a facadas por volta das 10h30 do último dia 29 de julho, em Jataí. Conforme a Polícia Civil, as suspeitas de cometer o crime são duas amigas da vítima, de 16 e 17 anos, que estão apreendidas. O corpo da jovem foi encontrado no mesmo dia na casa da menina mais velha, embrulhado em sacos plásticos debaixo de uma cama.

Em entrevista, a suspeita contou que a motivação do assassinato seria a recusa da vítima em manter um namoro. "Ela não ia ficar comigo. Não queria que ficasse com mais ninguém também", declarou. Entretanto, as famílias da menor de idade e de Bianca afirmam que não tinham conhecimento do relacionamento homoafetivo entre elas.

Tia da universitária, Júlia Pazzinato nega que Bianca tivesse qualquer relacionamento amoroso com a suspeita. ?Ela não queria envolvimento com essa menina. Bianca era perseguida por ela?, ressaltou a parente da vítima.

A Polícia Civil encontrou um caderno que reforça a suspeita de que o assassinato da estudante foi premeditado. No caderno, estavam listados os objetos que deveriam ser utilizados para matar Bianca, entre eles uma faca, luvas, e até uma barra de ferro.

Antes do crime, a menor de idade tinha escrito uma carta para Bianca declarando seu amor por ela. Na declaração, a suspeita escreveu: "Te amo muito, não por escolha, meu coração te escolheu sozinho, não me deu chance de defesa".

A adolescente de 17 anos contou que Bianca tentou lutar antes de ser morta. ?Ela se debateu e queria gritar. Ficou muito desesperada?, declarou.

O inquérito policial deve ser concluído até a próxima quarta-feira (7).

Fonte: G1