Suspeito confessa ter matado padre para não ser estuprado

Suspeito confessa ter matado padre para não ser estuprado

De acordo com o preso, esta foi a segunda vez que ele ia até o sítio em que vivia o padre.

Suspeito de matar um padre há uma semana em Brochier, no interior do Rio Grande do Sul, Everton Carvalho de Aguiar, 28 anos, confessou o crime nesta quinta-feira. Em depoimento à polícia no início da tarde, ele afirmou ter assassinado Jacinto Allebrandt, 57 anos, por não querer manter relações sexuais com o religioso. Aguiar está preso temporariamente na Penitenciária Modulada de Montenegro.

De acordo com o preso, esta foi a segunda vez que ele ia até o sítio em que vivia o padre. "Ele alega que ia até o local para realizar pequenos trabalhos. Da primeira vez em que esteve na chácara, ele disse que notou que a vítima se insinuava, mas nada aconteceu. Agora, no entanto, o padre teria sido mais incisivo", afirmou o delegado regional.

Em seguida, vítima e suspeito teriam entrado em luta corporal. "Ele afirma não lembrar muito bem, mas acredita que usou um lençol para asfixiar a vítima. As lesões no rosto, que até pensamos terem causado a morte, teriam sido causadas quando o corpo foi arrastado para fora", disse o delegado. O corpo do padre foi encontrado a menos de 10 m da casa, coberto com galhos e serragem.

Everton afirmou ainda que não matou para roubar. O notebook retirado da casa do padre teria sido um presente. "Ele lembrou que havia outro notebook que não foi levado e o carro do padre, no qual ele fugiu, foi abandonado com as chaves dentro". O suspeito foi preso na tarde de ontem enquanto caminhava em uma rua de Caxias do Sul, na serra gaúcha.

Padre foi afastado de atividades religiosas

Jacinto Allebrandt foi ordenado padre em 1986. No final do ano passado, ele foi afastado de suas atividades. No entanto, os motivos não foram esclarecidos pela Diocese de Montenegro, a qual estava ligado.

Após o afastamento, chegou a ser recomendado ao padre que ele realizasse um tratamento psiquiátrico. Em nota, o bispo Dom Paulo Antonio De Conto manifestou "seu profundo pesar pela trágica morte do padre", e afirmou que confia "na Justiça e aguarda os resultados das investigações".

Fonte: Terra, www.terra.com.br