Suspeito da morte da advogada Mércia é preso

Suspeito da morte da advogada Mércia é preso

Evandro Bezerra da Silva foi detido nesta madrugada em Canindé do São Francisco

O suspeito de envolvimento na morte da advogada Mércia Nakashima, o segurança Evandro Bezerra da Silva, foi preso na madrugada desta sexta-feira (9) na cidade de Canindé do São Francisco, a 200 km de Aracaju (SE). As informações iniciais são de que ele foi preso na zona rural do município. Na semana passada, em depoimento à polícia, uma testemunha ligada a Evandro Bezerra da Silva - segurança de um posto de gasolina em Guarulhos e suposto comparsa de Mizael Bispo na morte de Mércia Nakashima -, afirmou que o suspeito disse ter recebido R$ 5.000 do ex-candidato a vereador cabo Bispo “para fazer uma coisa errada”. Mizael Bispo foi candidato a vereador em Guarulhos pelo PDT, em 2004. A testemunha, que não foi identificada pela polícia, é apontada como “uma pessoa de confiança” de Evandro. De acordo com ele, durante uma conversa que os dois tiveram por telefone, o suspeito afirmou que precisava conversar com urgência, porque “não confiava nas pessoas que tinha ajudado”. Os dois marcaram um encontro na represa onde Mércia foi encontrada morta, mas Silva não apareceu no local. O segurança estava com a prisão decretada desde o dia 25 de junho e era considerado foragido da Justiça. O corpo de Mércia foi encontrado no dia 11 de junho em uma represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo. Um dia antes, a polícia localizou o carro dela no mesmo local. Em depoimento, um pescador contou que viu um homem de estatura mediana empurrando o carro na água no último dia 23 de maio, quando a advogada desapareceu. A polícia passou a considerar o segurança como um possível comparsa do ex-PM Bispo depois que o irmão da vítima, Márcio Nakashima, recebeu uma ligação anônima relatando que Bispo se encontrou com o funcionário, que “fazia bicos” para o ex-PM, um dia antes do desaparecimento de Mércia. Segundo ele, logo após o sumiço da advogada, no dia 23 de maio, o suspeito não apareceu mais para trabalhar. Ainda de acordo com o denunciante, os dois ficaram “um tempão” parados, conversando dentro do carro, no posto de gasolina. Ele diz que o possível comparsa conhece bem a região em que o carro da advogada foi encontrado. O advogado de Mizael Bispo, Samir Haddad Junior, confirmou que seu cliente esteve no posto de gasolina, onde ele costuma abastecer o carro, e que conversou, sim, com o suposto comparsa. - E daí? Ele se encontrou, é amigo dele. Trabalhou com ele em uma firma de segurança quatro anos atrás. Ele não nega isso. Até aí, fazer alusão que essa pessoa matou [a Mércia] junto com ele [Bispo], Deus que me perdoe. Se pedir a quebra do sigilo [bancário], vai provar que ele não tem saque de dinheiro nenhum para pagar essa pessoa.

Fonte: R7, www.r7.com