Suspeito de estupros guardava fotos de apresentadoras

Também foram encontrados ainda bilhetes direcionados a jornalistas, reportagens e fotos delas em molduras

Suspeito de estuprar 13 mulheres em Belo Horizonte, Pedro Meyer Ferreira Guimarães, 57 anos, guardava, em casa, fotos de repórteres e apresentadoras de televisão da capital. Gustavo Mariz, um dos investigadores que atua no caso, disse, nesta quarta-feira, que o material encontrado pode indicar uma possível obsessão do suspeito.

"Encontramos bilhetes com frases em que ele parecia ensaiar para uma possível ação futura. Em um papel, por exemplo, ele escreveu "não quero lhe engordar", como se o entregasse com uma caixa de bombons para a pessoa", disse Mariz.

Segundo a delegada Margareth Freitas Rocha, na casa de Guimarães, preso na última quinta-feira no bairro Anchieta, região centro-sul da capital mineira, foram encontrados ainda bilhetes direcionados a jornalistas, reportagens e fotos delas em molduras. Uma das fotos tinha o autógrafo de uma apresentadora. "Isso mostra que ele poderia ter interesse nestas pessoas e ainda fazer delas vítimas," disse.

Guimarães foi preso depois de ter sido reconhecido na rua por uma mulher que ele teria estuprado há 15 anos. A vítima acionou a Polícia Militar. Depois da prisão do suspeito, outras 12 mulheres procuraram a delegacia e também ser disseram dele. Todas as mulheres que dizem ter sido atacadas afirmam que ele usava camisa social de manga comprida e com estampas.

"Ele é uma pessoa de fisionomia marcada, forte. E as mulheres que são vítimas de um estuprador guardam as características dele. Já apuramos que ele sempre procurava meninas entre 11 e 18 anos, que são mais fáceis de ludibriar. Daí, ele acompanhava elas até um prédio que ele tivesse acesso, e abusava da vítima na garagem ou escada de incêndio. Ele ainda usava arma de fogo para inibir que as mesmas gritassem ou fugissem. Montamos uma força-tarefa de investigadores para apurar os casos e ouvir todas essas mulheres o mais rápido possível", disse a delegada Margareth Rocha.

Na casa do suspeito foram encontrados um boné e um par de óculos escuros, que segundo delegada, eram usados pelo suspeito nos crimes. Além disso, alguns livros e revistas com imagens pornográficas.

Fonte: Terra