Suspeito de integrar o PCC é preso com atriz pornô

Paulista suspeito de integrar o PCC é preso com atriz pornô em MS

A atriz de filme pornô Juliana Assis Novaes Cardoso, 28 anos, e um homem de 33 anos, morador de São Paulo, que relatou ser integrante da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), estão presos há mais de cinco dias em penitenciárias de Campo Grande (MS). Os dois foram flagrados na última quarta-feira em um carro com chassi e documentação adulterados no Paraguai, durante uma blitz na BR-163. Para a polícia, as prisões indicam novos indícios de um esquema usado por quadrilhas paulistas de ladrões de carro para dar aparência legal a automóveis roubados.



Segundo a Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (Defurv) do Estado, a atriz, que usa o nome artístico "Julia Fontanelli", seria somente acompanhante do motorista, mas teve participação no crime. Em depoimento, ela garantiu que foi ao Paraguai "apenas para fazer compras" e disse desconhecer o fato de o carro comprado pelo homem estar em situação de roubo.

"É um esquema corriqueiro. Quadrilhas roubam carros em São Paulo e levam para o Paraguai com objetivo de "esquentar" os documentos", disse o titular da Defurv, delegado Alberto Vieira Rossi. Com antecedentes por receptação e estelionato, o suposto membro do PCC alegou em interrogatório ter adquirido o veículo na capital paulista com documentação legalizada, possibilidade rechaçada pela polícia. "Avaliamos que ela teve atuação na ação criminosa já que ela encenou uma situação para enganar as autoridades. Eles fingiram ser um casal que fazia compras, quando na verdade buscavam esquentar a documentação."

A revelação da profissão de "Julia Fontanelli" surpreendeu os policiais. "Ficamos sabendo quando estávamos nos preparando para levá-la à Penitenciária Feminina. Ela contou o que fazia, em detalhes. Segundo ela, foram mais de 200 filmes", afirmou o delegado.

Segundo a polícia, 20 veículos com as mesmas ilegalidades do carro apreendido já foram flagrados em 2011 no Mato Grosso do Sul. No Paraguai, as organizações criminosas obtem documentos adulterados e modificam os chassis. O motorista está detido na Penitenciária de Alta Segurança de Campo Grande. A delegacia ainda não confirma se realmente há vínculos dele com o PCC.

Fonte: Terra, www.terra.com.br