Suspeito de matar lutador é preso no Rio

Ele é apontado pela polícia como chefe do tráfico da Favela do Aço

Um homem apontado pela polícia como participante da morte do lutador de jiu-jitsu Marco Jara foi morto neste sábado (3) durante um confronto com policiais militares, na Favela do Rebu, em Senador Camará, na Zona Oeste do Rio. Durante a ação da PM, outras três pessoas suspeitas de tráfico de drogas morreram.

Mãe de lutador morto tem encontro emocionado com mãe de menor detido Polícia apreende menor que teria confessado assassinato de lutador Disque-Denúncia recebe 19 ligações sobre a morte do lutador Suspeito detido com relógio de lutador diz que apenas saqueou carro Corpo do lutador Marco Jara é sepultado no Rio.

De acordo com o Comandante do 14ºBPM (Bangu), tenente-coronel José Macedo, o envolvido na morte do lutador era conhecido pelo apelido de Quinho e chefiava o tráfico de drogas da Favela do Aço, em Santa Cruz, também na Zona Oeste do Rio.

Na Favela do Rebu, os PMs apreenderam grande quantidade de drogas, além de armas e radiotransmissores. Segundo o comandante Macedo, um dos objetivos da incursão à favela era prender o traficante conhecido como Matemático, acusado pela polícia de chefiar o tráfico de drogas em várias comunidades da Zona Oeste.

Menor suspeito do crime é preso

Em março, um menor acusado de assassinar Marco Jara foi detido. De acordo com o delegado da 36ª DP (Santa Cruz), José Moraes, responsável pelas investigações, o menor foi detido próximo à Favela do Aço, na Zona Oeste do Rio. Ele foi encaminhado para o Ministério Público e vai responder por ato infracional análogo ao crime de latrocínio.

Fonte: g1, www.g1.com.br