Suspeito de pedofilia, "gostosão da webcam" é preso pela Polícia

Suspeito de pedofilia, "gostosão da webcam" é preso pela Polícia

Prisão foi possível após mandado expedido pelo DHPP. Suspeito mantinha fotos de meninas praticando sexo.

Um mandado de busca e apreensão, expedido pelo Departamento de Homicídio e de Proteção à Pessoa (DHPP) de São Paulo, fez com que um suspeito de pedofilia fosse preso em Cubatão (SP). O homem foi localizado pela Polícia Civil na tarde desta sexta-feira (20), na empresa onde trabalha.

Esta é a segunda prisão de José Adriano Soares, de 38 anos. O homem guarda em seu computador e em pen drives fotografias de meninas, com idades entre três e 16 anos, praticando sexo explícito. Em abril do ano passado, quando foi efetuada a primeira prisão, os policiais também encontraram CDs e DVDs com vídeos no quarto da casa onde ele morava com os pais, no bairro Cota 200. Na época, o suspeito respondia ainda pela divulgação do material na internet, mas foi solto pela Justiça depois de dois meses e pôde aguardar o julgamento em liberdade.

De acordo com o delegado do 3º DP da cidade, Wanderley Mange de Oliveira, foi possível prender o homem porque um dos pseudônimos usados por ele na web foi mencionado em um processo do DHPP. ?Nós recebemos um mandado de busca e apreensão de São Paulo e fomos cumprir. Quando chegamos à empresa onde ele trabalha como manobrista, vimos que se tratava do nosso ?gostosão da webcam? de novo?, diz o delegado, fazendo referência a um dos apelidos utilizados por ele nas salas de bate-papo online.

O suspeito foi encaminhado ao 3º Distrito Policial. Dentro da carteira dele, foram encontrados ainda papéis com uma breve descrição dele, além dos números de telefone e celular, que ele costumava espalhar em locais públicos, como orelhões. Sobre as meninas que aparecem nas imagens apreendidas desta vez, a polícia acredita serem crianças e adolescentes da região. ?Os vídeos que foram apreendidos com ele no ano passado mostravam crianças e adolescentes do exterior, tanto que a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) faz parte das investigações. Mas as meninas que aparecem no material atual são brasileiras, e podem ser daqui?, afirma o delegado.

Todo o material obtido com a prisão do suspeito será enviado para o DHPP, que prosseguirá as investigações sobre o caso. O homem será transferido para o 5º Distrito Policial de Santos.

O caso

O homem foi preso pela primeira vez em Cubatão no ano de 2013, após compartilhar imagens pornográficas envolvendo crianças com idades entre três e seis anos pela internet. A polícia chegou até o suspeito depois que uma mulher fez uma denúncia anônima para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), de Jaú, no interior de São Paulo. No quarto do acusado foram encontradas câmeras de vídeo, computador, pen drives, CDs e DVDs com cerca de mil filmes e imagens de sexo explícito com crianças.

Na época, Wanderley Mange de Oliveira, delegado responsável pelo caso, disse que a polícia chegou até o suspeito após as investigações terem quebrado o sigilo do IP do computador rastreado pelo material enviado para a mulher que o denunciou. O delegado explicou que, a partir dessa conversa, a mulher passou a juntar provas, como fotos e vídeos que recebia do suspeito para entregar para a polícia.

Após isso a polícia passou a rastrear o suspeito, tendo chegado ao endereço por causa de um boletim de ocorrência feito por ele, após terem furtado sua carteira em um ônibus. Após ser preso o suspeito disse à polícia que estava viciado em pornografia infantil desde 2010, quando acabou baixando um vídeo e se interessou pelo assunto. O suspeito foi solto pela justiça depois de dois meses e pôde aguardar o julgamento em liberdade.

Fonte: G1