Suspeitos confessam latrocínio e pedem perdão à mãe de vítima no ES

Emocionada, a mãe de Magno segurou as mãos dos acusados.

Os suspeitos de matarem Magno Fonseca Leite, de 25 anos, em Cachoeiro de Itapemirim, na região Sul do Espírito Santo, confessaram o crime e pediram perdão à mãe da vítima, nesta quarta-feira (21). O encontro com a dona de casa aconteceu na delegacia do município. Após o pedido de perdão, Cleonice Fonseca Leite abraçou os criminosos.


Image title

"Tive pena. Na hora sentia que meu filho estava comigo. Tirei um peso das minhas costas, não negaria um abraço. Estou aliviada em ter falado com eles sobre Deus. Agora vou poder seguir em frente, continuar minha vida", disse a mulher de 59 anos.

Magno morreu no dia 15 de março de 2015. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros após colidir sua moto com um carro. No hospital, médicos descobriram que ele havia sido atingido por três tiros, que provocaram a morte antes do acidente.

Durante as investigações, a polícia descobriu que antes do acidente, Magno tinha sido abordado por dois criminosos, Walafis Oliveira dos Santos, de 20 anos, e Vinicius Guarniel Vargas, de 26, em uma tentativa de assalto.

Magno tentou se livrar do roubo acelerando a motocicleta. Vinicius, que estava no carona de uma moto, atirou três vezes, acertando as costas da vítima. Walafis e Vinicius foram presos durante uma operação policial realizada na terça-feira (20).

O delegado responsável pelo caso, Augusto Giorno, disse que um dos acusados chegou a dizer que ficaram quietos pensando que o crime não seria solucionado pela policia. Eles foram transferidos para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cachoeiro.

Encontro
Angustiada, a mãe de Magno pediu à polícia para conhecer os suspeitos de matarem o filho. "Eu sempre quis conhecer as pessoas que mataram meu filho, então pedi a polícia que me deixasse vê-los. Muita gente falou que eu fui louca em abraçar os assassinos, mas meu filho morreu e não vai voltar. Ele faria o que eu fiz. Eu fiz o que meu coração mandou", afirmou Cleonice.

A dona de casa e outros familiares estiveram na delegacia e conversaram com os criminosos. Um deles admitiu que estava drogado.

Após a confissão, Cleonice respondeu: “E por que vocês usam isso? Aí vocês saem da prisão, continuam na droga e fazem a mesma coisa com outra pessoa”.

Promessa


Chorando muito, na delegacia, Walafis fez uma promessa à Cleonice: “Vou fazer mais não, tia. Você pode ter certeza. Dá uma abraço, tia. Me perdoa”, disse.

Emocionada, a mãe de Magno segurou as mãos dos acusados e os abraçou.

“Eu vou confiar em vocês e vou confiar em Deus. Vocês não podem fazer isso com ninguém, nem com a família de vocês. A dor que eu estou sentido é tão grande...Meu coração ainda cabe um pouquinho de perdão para vocês”, disse Cleonice, antes de sair da delegacia.

Alívio


Com coração aliviado e a certeza de ter feito a coisa certa, Cleonice disse não ter vergonha de abraçar os homens que mataram seu filho. Ela afirmou que, embora tenha perdoado os criminosos, não acredita que eles tenham sido sinceros.

"Acho que eles não estão arrependidos, que me pediram perdão por medo, porque estavam dentro de uma delegacia. Mas eles são uns pobres coitados, vítimas das drogas. Deus é quem vai julgá-los pelo que fizeram. Eu sou muito religiosa e meu filho também era. Os perdoei por ele, porque o Magno faria isso", afirmou.


Fonte: Com informações do G1