Suspeitos de esquartejar jovem alegam ter bebido, revela delegado

Dois irmãos, de 25 e 18 anos, foram presos e confessaram o crime. Um laudo pericial deverá apontar se a jovem foi estuprada

Image title

A Polícia Civil em Urubici, na Serra catarinense, investiga as circunstâncias da morte e do esquartejamento da jovem Alice da Rosa, de 24 anos, após um baile no último sábado (2). Dois irmãos, de 25 e 18 anos, foram presos e confessaram o crime. Um laudo pericial deverá apontar se a jovem foi estuprada.

Segundo o delegado Gustavo Gigliotti, responsável pelo caso, os dois irmãos disseram estar arrependidos em depoimento nesta segunda-feira (4). “O mais velho chegou a chorar. Ele alegou que se descontrolou porque estava embriagado”.

De acordo com a polícia, o irmão mais novo confessou ter dado a ideia do esquartejamento e também alegou estar embriagado.

Carona e desentendimento
Conforme o delegado, Alice e o rapaz de 25 anos, que trabalhava como pedreiro, haviam se conhecido em um baile naquela mesma noite. Segundo relatos de testemunhas, o rapaz e o irmão se ofereceram para levar a jovem em casa de carro.

No caminho, segundo o delegado, houve um desentendimento. “Ainda estamos apurando a motivação”, explica Gigliotti.

A irmã de Alice prestou queixa do desaparecimento da jovem no domingo (30). Os dois suspeitos foram abordados pela polícia na segunda-feira (4) e levados para a delegacia, onde confessaram o crime. Eles foram com a Polícia Civil até o local do crime.

Na estrada geral do bairro Baiano, ao lado da Serra do Panelão, os policiais avistaram muitas marcas de sangue e as roupas da jovem espalhadas na margem da rodovia.

O corpo de Alice foi encontrado em duas sacolas grandes de armazenamento de ração de cavalo, na Serra do Panelão. Os suspeitos, segundo a polícia, jogaram os restos mortais a cerca de sete metros da margem da rodovia, no penhasco da Serra.

Homicídio qualificado
O laudo pericial deve ficar pronto em cinco dias, segundo a polícia. O corpo da jovem permanece nesta terça-feira (5) no Instituto Geral de Perícias (IGP) de Lages.

O delegado afirma que, ainda que não seja comprovada a violência sexual, os irmãos serão indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Os dois seguem presos provisoriamente na Unidade Prisional Avançada (UPA) de São Joaquim. O delegado afirmou que pedirá a prisão preventiva dos dois irmãos.

Irmãos já tinham passagem
Há seis meses, os dois irmãos, nascidos em Vacaria (RS), chegaram a ser detidos por desacato, após se envolverem em uma confusão na saída de um baile, segundo o delegado.

Na época, diz Gigliotti, o mais novo era menor de idade. O irmão mais velho também tem passagem por embriaguez ao volante.

Fonte: G1