Taxa de homicídios cresce 44% em THE, revela índice

Os dados do Mapa da Violência 2013 apresentaram que em todo o Piauí

Teresina apresenta os menores índices de homicídios de jovens do Brasil, mas, por outro lado, a capital apresenta os maiores índices de crescimento da violência.

No comparativo do crescimento entre 2001 e 2011, por cada 100 mil habitantes, Teresina apresenta crescimento de 44,2%, nas taxas de homicídios. Os dados são do estudo Mapa da Violência 2013: Homicídio e Juventude no Brasil, do Centro de Estudos Latino-Americanos (Cebela).

Em todo o Piauí a alta de homicídios entre toda a população foi de 51,2%. É na Região Nordeste onde os números mais crescem: 73,6%, principalmente pelo elevado aumento dos homicídios em Natal e Salvador, onde o crescimento do número de homicídios ultrapassa a casa de 200% na década.

Também Fortaleza, João Pessoa, Maceió e São Luís, com taxas menores, mas muito elevadas, serão responsáveis pelo forte crescimento da violência na região.

Entre 1999 e 2011 a taxa de homicídio em Teresina mais que dobrou. Em 1999, a capital piauiense tinha uma taxa de 14% de homicídios. Já em 2011 esse número subiu para 33,4%.

Apesar de a capital ter saído da 23ª posição para a 19ª, subindo quatro posições, nesse intervalo o crescimento do número de homicídios pode ser considerado alto.

Quem já foi vítima dessa violência lamenta que esses números ainda estejam tão altos. O jornalista Flávio Moura conta que perdeu seu irmão mais velho durante um ato violento de bandidos, enquanto assaltavam um bar onde a vítima estava. O fato aconteceu há seis anos, mas a dor ainda não foi superada pela família.

?No momento, meu irmão estava do lado de fora do bar, ao celular, falando (pela última vez) com a sua esposa.

Quando ele voltou ao bar, logo na porta, foi surpreendido com a confusão. Por um ato repentino e insano, um dos bandidos atirou nele e depois deu mais dois tiros, e ele caiu no meio da rua. A dor foi tamanha que eu passei mal, assim como meus pais e meus demais irmãos.

Tudo que foi acontecendo na minha vida foi aumentando em mim a saudade e a necessidade de tê-lo ao meu lado. Para mim, todos os dias é praxe lembrar dele, rezar por ele e ter sempre a certeza de que ele está em paz e que vai ficar tudo bem?, relatou.

Fonte: Pollyana Carvalho