Técnico de enfermagem acusado de estupro chora ao ser preso

Em depoimento, o homem negou ter cometido os abusos

O técnico em enfermagem Vicente da Costa Amorim, de 38 anos, acusado de estuprar uma paciente dentro da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Riacho Fundo (DF), chorou ao ser preso. O acusado foi detido em flagrante na madrugada desta terça-feira (19) após ministrar uma injeção em uma paciente de 22 anos.


T馗nico de enfermagem acusado de estupro chora ao ser preso

Segundo a polícia, além de abaixar a roupa da jovem, ele também teria passado as mãos nas partes íntimas dela. O delegado João Carlos Lóssio disse que a vítima foi ao pronto socorro se queixando de dores na garganta e no corpo. O técnico em enfermagem atendeu a paciente e, de acordo com a vítima, chegou a enfiar o dedo na vagina dela.

De acordo com a polícia, o abuso teria acontecido durante a noite em uma das salas da enfermaria da UPA. A vítima é moradora do Recanto das Emas (DF), mãe de dois filhos e estava acompanhada do namorado.

Quando percebeu que estava sendo abusada sexualmente, a mulher reagiu e provocou um tumulto na unidade de saúde. Em seguida, ela foi até a delegacia do Núcleo Bandeirante para registrar ocorrência. Assim que começou a relatar o que teria acontecido, o técnico chegou na delegacia e acusou a mulher de calúnia. Ele queria ainda registrar ocorrência contra ela.

? Ele pediu para eu deitar na maca para aplicar a injeção e ele mesmo puxou minha calça até a virilha. Eu achei estranho, mas estava me sentindo muito mal. Aí ele tentou aplicar a injeção e disse que a agulha tinha entupido. Então ele repetiu o procedimento e depois ficou massageando minha bunda.

O acusado acabou sendo preso em flagrante. A polícia verificou, por depoimentos e exames, que a mulher realmente foi abusada sexualmente. O técnico em enfermagem foi levado para a Central de Flagrantes na 27ª Delegacia de Polícia no Recanto das Emas. O caso foi registrado como violação sexual mediante fraude.

A mulher disse ter achado estranho a atitude do técnico e questionou o procedimento. Mesmo assim ele continuou.

? Ele disse que era para espalhar o medicamento. Só que depois ele começou a passar a mão no meio das minhas pernas e depois enfiou o dedo na minha vagina. Eu levantei na hora e disse que ia ao banheiro. Depois ele sumiu dentro da UPA.

O acusado é funcionário do GDF (Governo do Distrito Federal) e trabalha há oito anos no Hospital de Base. Desde 2011, ele também atuava na UPA e na delegacia negou o abuso.

A Secretaria de Saúde SES-DF informou que o caso será investigado e que o servidor será punido pela Corregedoria assim que houver a notificação oficial da prisão por parte da Polícia Civil.

Assista ao vídeo:

Fonte: r7