Teresina já registra 17 mortes por acerto de contas

Foi revelado que existe um aumento nos números de violência, chegando a ultrapassar os de cidades como São Paulo

Recentemente o Centro de Estudos Latino-Americanos (Cebela) divulgou o Mapa da Violência 2013: Homicídio e Juventude no Brasil. A pesquisa, que foi baseada em dados do Subsistema de Informação sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde, aponta que a capital piauiense é uma das que têm menores índices de homicídios de jovens do Brasil e da região Nordeste.

Porém, foi revelado que existe um aumento nos números de violência, chegando a ultrapassar os de cidades como São Paulo, tida como uma das mais violentas. Em Teresina, o percentual chegou a sofrer um acréscimo de cerca de 44%. Nisso, as mortes por acertos de contas são preocupantes.

De acordo com dados divulgados pela Polícia Militar do Piauí, somente nos últimos 8 meses 17 pessoas foram mortas em decorrência de acertos de contas na capital, o que representa uma média de 2 homicídios por mês. As brigas de gangues, muitas vezes motivadas por tráfico de drogas, também são apontadas como um dos elementos responsáveis por essas estatísticas alarmantes.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Piauí (Sinpolpi), Cristiano Ribeiro, assegura que esses números podem ser ainda maiores, já que alguns outros crimes, no mundo das drogas, são tipificados de outras maneiras.

Ele destaca que esses dados são preocupantes, pois envolvem jovens de 19 a 23 anos de idade. ?É muito preocupante porque envolve jovens, relacionados com drogas. Isso mostra que eles estão se autodestruindo?, disse o presidente do Sinpolpi, acrescentando ainda que na zona Sul de Teresina há uma maior concentração do número de ocorrências por crimes dolosos.

Cristiano frisa ainda que uma parcela significativa desses crimes é praticada com armas de fogo. ?A grande maioria deles são cometidos com armas de fogo. Então é preciso haver uma maior repressão, por meio de políticas públicas voltadas para a questão social. Muitos casos são originados por brigas vindas de casa. Então é toda uma questão social que envolve isso. A implementação dessas políticas por parte do poder público ajudou a diminuir esses índices de violência?, aponta o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Piauí.

Fonte: Wherika Carvalho