Número de agressões contra mulher cai 20% em Timon, diz delegacia

Número de agressões contra mulher cai 20% em Timon, diz delegacia

A Delegacia da Mulher de Timon verificou uma diminuição no índice de registro de agressões contra a mulher.

Um levantamento minucioso realizado pela Delegacia da Mulher de Timon mostrou que houve uma grande redução no número de casos de violência contra a mulher entre os anos de 2010 e 2011.

Em 2011, o município registrou um total de 1.187 casos de violência, enquanto no ano seguinte foram registrados 973 casos, número 20% menor que o ano anterior. O estudo é feito semestralmente e mostra o panorama da violência contra a mulher no município do Maranhão.

Em 2010, os boletins de ocorrência registrados resultaram na instauração de 112 inquéritos policiais, 45 termos circunstanciados e 39 mandados de prisão. Já em 2011, foram registrados 75 inquéritos policiais, 17 termos circunstanciados e 34 mandados de prisão.

Quanto ao tipo de delito, ameaças e lesão corporal apresentam maior número de denúncias: 460 e 211, respectivamente. Injúria (79) e vias de fato (60) também apresentam índices elevados. Já queixas por calúnia (20) e difamação (12), apesar de apresentarem os menores números, não deixaram de ser registradas.

Outro dado que chama atenção é para o perfil do agressor, o que comprova que a violência começa dentro de casa e na própria família. Cerca de 70% dos homens que cometem a agressão são os próprios companheiros e ex-companheiros, no ano de 2011 foram 428 casos registrados nesse sentido. Filhos e irmãos também marcam presença com 80 casos registrados.

Embora em menor proporção, pais (8), padrastos (6), cunhados (15) e genros (17) também fazem parte das ocorrências. Fora de casa, a violência por parte dos vizinhos também é presente e é responsável pelo segundo maior índice: em 2011 foram 72 casos.

O levantamento também apontou os locais onde ocorrem violência, seja física ou verbal, com mais frequência.

Enquanto os bairros Cidade Nova (117) e Parque Piauí (I com 74 e II com 73) apresentam números elevados, acima de cem ocorrências, o Centro e Formosa apresentam os menores índices, com registro de 35 e 19 casos, nessa ordem.

Conscientização contribui para reduzir índices

Ações sociais no sentido de conscientizar as mulheres são medidas que estão sendo tomadas em Timon e têm contribuído para a redução da violência contra a mulher.

Os esforços por parte da Delegacia da Mulher, da Secretaria de Defesa dos Direitos da Mulher, criada em 2009; bem como do Juizado Especial de Violência contra a Mulher, criada em abril do ano passado, têm tido um papel importante nessa questão.

Atividades como caminhadas, grupos de apoio, palestras e até realização de cursos de capacitação com mulheres vítimas de violência são realizados anualmente.

De acordo com a ex-secretária da pasta, Maria de Fátima Silva, ações junto à comunidade são fundamentais para a conscientização da sociedade em geral. Mas é sobretudo através da capacitação que é possível reverter esse quadro, já que a falta de alternativa acaba contribuindo para a omissão.

"O projeto leva para a comunidade e conscientiza a mulher e o homem, mostrando a Lei Maria da Penha, a importância em se conhecer a lei. O resultado tem sido positivo, tanto é que diminuiu o índice de violência.

Antes dessas ações tínhamos quase duas mil ocorrências no ano. Hoje caiu para pouco mais de mil casos. Mas o governo está trabalhando para que esses índices caiam cada vez mais", explica a ex-secretária.

No mês de março, mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, 23 comunidades no interior de Timon receberam palestras de conscientização, que também é feita em escolas para homens e mulheres.

Além disso, a realização de casamentos também tem dado uma nova vida a essas mulheres. Desde a criação da secretaria, em torno de 300 casamentos comunitários já foram realizados no município.

Fonte: Virgínia Santos