Tráfico e uso de drogas ocorrem livremente nas ruas da z.Sul de THE

Delegacia de Entorpecentes está ciente e tomará as providências

O uso de drogas se tornou problema de saúde pública. Nos bairros de Teresina, as bocas de fumo se disseminam e, cada dia mais envolve pessoas no vício, que começa cada vez mais cedo. Em alguns locais da capital, vê-se livremente o consumo e a comercialização de drogas, situação que tem provocado o medo da população.

Por volta do meio-dia de ontem (15), na Rua Motorista Joca, Bairro Redenção, zona Sul da capital, próximo ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT), a reportagem do Jornal Meio Norte flagrou, de maneira explícita, a comercialização e o uso drogas.

Um casal com roupas rasgadas e sujas comprava drogas e consumia ali mesmo, sem o menor constrangimento, em plena movimentação de veículos e até de estudantes que voltavam da escola para casa.

Segundo Adval Luz, morador do Bairro Catarina, a sensação é de temor, por saber que a qualquer momento você pode ser vítima de um assalto praticado por esses usuários de drogas que estão em busca de algum pertence e podem inclusive tirar vidas. “Você têm medo de sofrer alguma agressão ou algo mais grave dessas pessoas que estão, aparentemente, alteradas. Fui assaltado há oito meses, colocaram a arma na minha cabeça. Nessa situação, você teme a qualquer momento perder a vida ali mesmo. Eu como estudante que estou buscando contribuir com a sociedade e criar uma carreira me vejo de mãos atadas”, desabafa Adval Luz.

O estudante diz ainda que os moradores da região têm perdido o direito de ir e vir pois, ao anoitecer, não se pode mais circular nas ruas, por medo de arriscar a vida. “Na minha região, a partir das 19h, ninguém mais pode circular e até o ato de pegar um ônibus, você pode por sua vida em risco.Sem exagero. Tem muitos assaltos, só que esses assaltos são de usuários de outros bairros, que nos abordam de motos e carros, exigindo o celular ou dinheiro, nos ameaçando com armas”, esclarece.

Sobre a comercialização de drogas na região sul de Teresina, a Delegacia de Entorpecentes está ciente e tomará as devidas providências, com base na Legislação Brasileira, por meio da Lei Nº 11.343, de 23 de agosto de 2006, no artigo 33, que caberá pena de reclusão de cinco a 15 anos quem importar, vender, fabricar, adquirir, oferecer, ter em depósito, transportar, guardar, entregar a consumo ou fornecer drogas.

Registro de Boletins de Ocorrência passa a ser descentralizado

A Secretaria Estadual da Segurança Pública está descentralizando o atendimento para registro de Boletins de Ocorrência na capital.

Ainda esta semana, a população poderá contar com os Batalhões de Polícia Militar para comunicar queixa-crime. A estratégia, segundo o secretário Fábio Abreu, visa dar mais opções aos teresinenses durante a greve da Polícia Civil.

Abreu explica que no interior do estado o trabalho continua sendo feito nos Distritos Policiais, mas não descarta a possibilidade de adotar a mesma medida nos Grupamentos e Batalhões da Polícia Militar.

"Estamos com a equipe técnica nos Batalhões da PM na capital orientando e treinando os policiais para os registros dos BOs, serviço que hoje está concentrado na Delegacia Geral.Acredito que durante esta semana estaremos colocando em prática e à disposição da população", afirma Fábio Abreu. Em Teresina, os registros de Boletins de Ocorrência poderão ser feitos em todas as regiões da cidade.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele