Transexual 'crucificada' em Parada Gay é agredida a facadas em SP

Viviany disse que lutou comagressor, por isso, conseguiu se salvou

Conhecida depois que encenou a própria crucificação na Parada LGBT de São Paulo deste ano — como forma de protesto contra a transfobia —, a atriz e modelo transexual Viviany Beleboni postou um vídeo nas redes sociais no qual diz ter sido esfaqueada a caminho de sua casa.

Muito abalada e chorando, ela conta que um homem a reconheceu e, com uma faca, a atacou. Nas imagens, ela mostra o rosto machucado e um corte no braço. "Acabei de ser agredida por uma pessoa que se fala que é de Deus. Você pode ver que estou com meu olho inchado. O meu rosto foi cortado. Acabei de secar porque estava saindo sangue. Meu nariz está todo inchado e ensanguentado", começa a falar Viviany.

Em seu depoimento, ela segue com o relato: "Se era isso que vocês inimigos queriam, vocês queriam (...). Eu fui quase esfaqueada. Estava passando na rua aqui perto de casa e a pessoa me conheceu. Ele estava com uma faca, esses marginalzinho, mendigo de rua, disse que não sou de Deus, que sou um demônio e o que eu fiz, eu teria que pagar".

Viviany disse que lutou com o agressor e, por isso, conseguiu se salvar. "Sorte é que tenho 1.80m. Sou homem suficiente e conseguir apartar isso. Ele saiu correndo", diz. A modelo ainda deu a entender que não pretende registrar o caso na delegacia. "Pra quê? Para eles te tratarem que nem um homem lá, para te chamarem que nem um homem e rirem da sua cara e não dar em porra nenhuma. Eu não vou. Sabe o que vou fazer? Vou ficar trancada dentro da minha casa", fala chorando.


Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do Jornal Extra